quarta-feira, 13 de abril de 2016

Solte a ilusão de ser alguém para um mundo





Ramana dizia: "é mais fácil um pai de família realizar a Verdade do que um Sannyasin, do que um renunciante." 

O renunciante carrega a ideia de que renunciou ao mundo, enquanto que o mundo está dentro dele. A mente dele carrega a ideia de ter deixado o mundo, e um pai de família não carrega essa ideia. Tudo que o pai de família tem que fazer é renunciar à ilusão de ser uma entidade separada do mundo. E é só isso que eu peço a você. 

Solte a ilusão de ser alguém para um mundo, alguém para outros, alguém para si mesmo. Você só tem que se libertar da ideia de que você é uma pessoa com deveres e obrigações. Esses deveres e obrigações são do Todo, não são dessa pessoa que você acredita ser. Deus que cuide de suas aparições. São aparições únicas Nele. Deus que cuide disso. 

O seu dever é abandonar a ilusão de que você está aí, carregando esse peso, carregando o medo, a obrigação, o dever. Você só tem uma coisa a fazer: entregar tudo a Deus! Você entrega tudo a Deus quando abre mão dessa ilusão de querer controlar, resolver e fazer tudo sozinho. E é isso que, no ego, vocês fazem. Vocês querem resolver tudo sozinhos. Aí, se sobrecarregam de preocupações que não lhe dizem respeito, que não são suas, que não deveriam ser suas. 

Há um Poder que governa tudo; gerencia, toma conta, controla, põe e dispõe do jeito Dele. Essa Presença faz e desfaz do jeito Dela! Esse Poder faz e desfaz do jeito Dele! Essa é a Graça de Baba Loknath, essa é a Graça de Ramana Maharshi, essa é a Graça do Guru. 

Você chega ao Mestre e diz: “Arranque a minha cabeça!” Ele vai dar um jeito de arrancar essa sua cabeça, mas você não pode fazer como a tartaruga (escondendo-se no casco). O problema que eu percebo é que, na mente, você não consegue dar esses passos. São passos de fé! São passos fora da mente! Na mente, você vai somar, dividir, subtrair, avaliar o que pode perder, o que você tem que negociar, quais são as consequências... 

O espelho reflete imagens porque essa é a natureza do espelho. O mundo é assim, funciona como a mente: está sempre nos convidando para o tempo, para o futuro, para o passado.  A natureza do espelho é refletir apenas o que é apresentado diante dele. Ele não aumenta e nem diminui aquela imagem aparente que ali surge. É só uma imagem aparente. Você não pode pegar uma maçã dentro do espelho, nem pode tirar um garfo de comida de um prato dentro do espelho. 

Aquela imagem é só a aparência refletida de um objeto tridimensional no tempo e no espaço, mas aquele objeto no espelho não tem nenhuma realidade. É só uma aparência. O objeto tridimensional original também é só uma aparência. A Natureza Real do objeto no espelho e desse objeto tridimensional é o Vazio. A natureza do espelho é a mesma do objeto no espelho e do objeto tridimensional, do qual o objeto no espelho tem a sua imagem emprestada. 

A Verdade está fora do passado, fora do futuro, fora da história, fora desse objeto tridimensional chamado “eu”, que aparece como mente, corpo e mundo.

A sua Natureza Real é Consciência! Ela é a única realidade! No mais, tudo está indo embora... já está indo embora! Não tem como alguém sustentar isso. Então, deixe ir embora. Deixem as aparições. Deixem todas elas irem embora! Se você não tentar segurá-las, elas continuarão aí, como aparições, e serão cuidadas de uma forma muito melhor do que por essa ilusão, que é a ilusão que você acredita ser, gerenciando, tomando conta, cuidando disso. 

Eu quero lhe economizar mais 30, 35, 40 anos de prática de meditação, de prática de espiritualidade. Eu quero economizar essa sua vida! Eu quero lhe dar o Zen, o Buda, o Baba Loknath, o Cristo! Eu quero lhe mostrar onde Eles estão. Até agora você está olhando para um objeto refletido no espelho, que é tão irreal quanto esse objeto tridimensional no tempo e no espaço, onde aquele objeto busca emprestada sua imagem. Eu quero quebrar esse espelho, desfazer essa imagem! Sem espelho, não tem essa imagem. Eu quero acabar com esse objeto tridimensional! Eu quero que você fique com o Vazio! É o Vazio Baba Loknath, é o Vazio Buda, é o Vazio Cristo, é o Vazio Sat-Shit-Ananda. (O telefone de um dos presentes toca, interrompendo a fala). 

É um exemplo do que o mundo vai fazer com você por mais 10 milhões de vidas. O mundo nunca vai deixar você ouvir o convite a um salto para além dele. O mundo sempre vai estar, assim, convidando-o a voltar de novo. 

Participante: O mundo aqui são dois filhos e uma filha. Já ligaram três vezes! 

Mestre: Não, o mundo não são eles. Antes fossem! O mundo é a ideia que você faz de você mesmo, acreditando que tem filhos, que tem alguma família, que é uma pessoa. Esse é o mundo! É desse mundo que eu quero livrar você! Não é dos seus filhos, não é da sua casa, não é do seu trabalho, não é desse seu mundo externo. É desse mundo ilusório interno, no qual você acredita ser alguém - alguém que é pai, que amanhã será avô e depois será tataravô. Falo desse mundo no qual você acredita ser uma pessoa.

*Fala transcrita a partir de um encontro presencial no dia 19 de Março de 2016 na cidade de Fortaleza 

 

3 comentários:

  1. Excelente ! Sou uma das que não sei o que me segura ! Nada no mundo me satisfaz, quando penso em algo que eu poderia querer vem logo o sentimento e diz assim; para quê quer isso ? kkkk já não sei o que fazer comigo mesma !

    ResponderExcluir

Deixe aqui o seu comentário

Compartilhe com outros corações