terça-feira, 9 de junho de 2015

O que é iluminação? - Satsang


Iluminação! O que é iluminação? Iluminação é o florescer do que você é. O processo do florescer é aparente. Você é como uma flor que floresce, mas não sai de botão para uma flor inteiramente aberta. É um florescer de outra ordem. Eu tenho, nessas falas, usado muito a expressão constatar. Iluminação é constatar o seu Estado Natural de Ser. Isso é florescer.
É curiosa a ideia de tempo implicada nesse, assim chamado, processo. Quando usamos aqui a palavra processo, em algumas das falas, usamos nesse sentido, nesse "jogo", que assim parece ser gradual, mas não tem nada de gradual nisso. Constatado o que você É, é algo instantâneo. Nenhum tempo se faz necessário. Nenhum trabalho, no sentido de um processo gradativo, se faz necessário; só parece ser assim. 
 
Essa coisa de vir a Satsang, de estar presente nesses encontros, de olhar isso, não só aqui, mas também fora desse espaço, olhar de novo, de novo e de novo, Isso não é o botão se abrindo, é um florescer diferente. Isso é algo acontecendo e assentando nesse corpo-mente; que é aquilo que parece ser o impedimento sendo visto como uma aparência e desaparecendo.
Mas não há tempo na Iluminação. A mente curiosamente "diz": ”chegarei lá, realizarei isso; vou fazer acontecer". E aí ela caminha, mas esse caminhar é dentro dela mesma; é como um milhão de passos, mas num lugar só. Você pode dar um milhão de passos no mesmo lugar, que você não chega a lugar nenhum. Mas com um milhão de passos, é claro, você cansa. É bom você estar cansado, porque aí você fica quieto, e descobre o que é despertar, o que é iluminação, o que é acordar. Aí você descobre que é algo presente nesse instante. Iluminação é o florescer do amor, o despertar da compaixão, o respirar da felicidade de seu Estado Natural, e isso é agora, não amanhã. Um milhão de passos é bom que sejam dados, até que você entenda que não precisa dar um só passo e que esse milhão de passos não significam nada.
Você é Isso. Você é a suprema e natural paz, amor, felicidade, iluminação. Deixem de mitificar isso e mistificar isso que é você.
Você é o Cristo. Você é o Buda. Você é a Suprema Felicidade e simples Amor!
Você é Deus!
Não importa o que a sua mente diga. Ela pode dizer qualquer coisa, mas isso não muda o que É. Você é o som do bebê que chora no berço, a melodia da flauta soprada pelo flautista, o deslizar das nuvens no céu... Você é o sol se escondendo por trás da montanha, é o sussurro do riacho, é o canto do pássaro naquela árvore distante... Você é o sorriso e também as lágrimas... Você é aquilo que está mais próximo, e é aquilo que está dentro, no cerne de todas as coisas... Você é TUDO, em todo instante, a todo momento, e está em toda parte e não está em lugar algum... sem nascimento e sem morte... sem passado e sem futuro, nem mesmo nesse presente, que logo se torna passado... Você é aquilo sem nome, sem forma, sem definição.
Não há pessoa, não há alguém, não há mim, não há eu. Você é esse Silêncio, essa Paz , essa Liberdade, essa Plenitude, essa Quietude. Você é Iluminação... e Isso é Deus, agora e aqui. Quando não há nenhum sentido de separação, nenhum sentido de separatividade, aí está você em sua Real Natureza. E você é Ele! E só há Ele... E só há Você! Isso é tudo... e tudo é Isso.
É tão simples, tão simples, tão simples, assim. É somente Isso... É só Isso! 

*Trecho de uma fala de um Satsang presencial em Itaquaquecetuba - SP em outubro de 2012

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui o seu comentário

Compartilhe com outros corações