terça-feira, 19 de junho de 2018

Viva em amor com o seu Ser




Enquanto você se confunde com o corpo, a ilusão da mente se repete, mas, mesmo assim, Você continua intocável. Você não se repete, é a mente que se repete! Você não tem problema, a mente tem! 
Você está em apuros porque se confunde com o corpo. Como a mente se repete, o que ela faz, o tempo todo, é plasmar formas — ela precisa disso. O corpo é uma forma da mente, mas a mente não é uma forma da Consciência, de sua Real Natureza. A mente é uma forma do ego, do desejo, que forma o corpo para desfrutar daquilo que ele anseia. Então, você nasce porque está em estado de miséria, que é o estado da mente egoica; está embolado, confundido com isso. Quando isso termina, não há motivo para a forma aparecer novamente, porque a mente egoica não está mais presente.
Por que eu digo para vocês sempre, em Satsang: “Não confie na experiência!”? Porque é na experiência que está a ilusão de ser alguém e, assim, você se mantém na escravidão! Vá além disso! Vá além de tudo e  de todos! Vá além da mente, do corpo, da ideia de ser alguém! Vá além dessa ilusão!
Pare de pensar em termos de pessoas, de lugares, de coisas, de objetos, porque quando você está buscando isso, está se fixando cada vez mais no tempo. Por exemplo: se você tem um marido, ou um namorado, e vive pensando nele, você está se fixando no tempo, como uma identidade separada. Vá além de pessoas, coisas e lugares! Mantenha-se livre, internamente, de tudo isso, porque, enquanto houver desejo, a mente vai se repetir, vai buscar um corpo novo, uma nova sensação, uma nova experiência, e isso não termina nunca! Está claro isso?
More em seu Ser, viva em seu Ser, case-se com o seu Ser, viva em Amor com o seu Ser! O resto são formas que a mente está criando e buscando para se posicionar no tempo, como uma identidade separada.
O que eu estou dizendo para você é o Cerne, o Coração dos Vedas, dos Upanishads, da Bíblia, do Alcorão e de todos os livros sagrados do mundo. Todos estão apontando para o Divino, e Ele É quando você não é.
A identificação com o corpo, com a ideia de ser alguém, faz você ficar preocupado: “Vou ou não vou”?; “Continuo ou paro?”; “Caso-me ou não?”; “Peço o divórcio ou não?”…  É como quando eu encontro alguém que está preocupado com o que come: “Eu sou vegetariana”; “Eu sou macrobiótico”. Estou tratando de outra coisa! Você está preocupado com o que o corpo vai comer, está se identificando com o corpo, achando que o corpo vai se espiritualizar pela comida. O corpo espiritualizado pela comida é o quê? É a mente! O corpo é só a mente e eu estou tratando de Você, não do corpo e da mente. Eu não estou preocupado com o que você come, mas sei que, na espiritualidade, vocês aprenderam isso, então chegam aqui cheios de crenças do que pode e do que não pode; do que deve e do que não deve; do que se faz e do que não se faz.
Que diferença faz para O que Você É, em sua Natureza Real? Antes de o corpo ter nascido, Você é Isso e, quando o corpo desaparecer, Você é Isso! Eu estou apontando para Aquilo que Você É, apontando para Aquilo que é sua Natureza Real, além do corpo, além da mente, além da forma, além do mundo, além do nascer e morrer.


* Transcrito a partir de uma fala em um encontro presencial no Ramanashram Gualberto na cidade de Campos do Jordão em outubro de 2016

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui o seu comentário

Compartilhe com outros corações