quinta-feira, 17 de maio de 2018

O que impede a Real Felicidade?




O que impede a Real Felicidade? Nosso objetivo, nesse encontro, é investigar a natureza desse impedimento. Nós não estamos investigando a Realidade, a Verdade ou a Felicidade, mas a natureza desse impedimento. O grande impedimento — talvez o maior impedimento de todos — é a crença não examinada acerca da verdade sobre si mesmo. Você não sabe quem é, mas tem muitas ideias sobre isso.

Estar disposto a viver a Verdade significa ter a disposição de abandonar todas as crenças, o que significa abandonar essa identidade pessoal (esse sentido de pessoalidade sustenta essas crenças e vice-versa). O seu grande impedimento está assentado exatamente nisso!

Os pensamentos que você tem sobre si mesmo sustentam os pensamentos que você tem sobre a vida. Basicamente, é assim que acontece. Na verdade, quem você pensa que é, é o que sustenta o seu mundo. Essas crenças inconscientes manifestam esse modelo e sustentam isso no corpo e na mente – essa é a base da falsa identidade.

Como você se sente neste momento? Quais sensações aparecem no seu corpo? Que tipos de pensamentos aparecem, agora, na sua mente? Como suas crenças estão aparecendo agora? Tudo que você está sentindo, neste momento, está dentro desse modelo programado por essas crenças. Se você sente tristeza, isso está sendo configurado por um modelo de pensamento presente. Se você sente alegria, outro modelo de pensamento está presente aí. Se está sentindo algumas coisas no corpo, algumas sensações, todas acompanham um certo modelo de pensamento, um modelo de crença.

Você está tão identificado com os pensamentos que nem mesmo toma ciência do que eles provocam nesse mecanismo, nesse corpo-mente. O seu conjunto de crenças sustenta esse modelo de uma identidade presente dentro do corpo. Isso é completamente falso, mas não é assim que esse corpo-mente sente, porque você está se confundindo com esse “aparato”, com essa condição de crença. Você se vê no corpo e com uma mente dentro desse corpo. Isso é um padrão de representação que você faz de si mesmo. Os Sábios chamam isso de “estado de sonho” ou “estado de inconsciência”. Isso não é Real! Do ponto de vista da Realidade, da Verdade presente, você está, literalmente, dormindo! Percebe o quanto isso é importante?

É evidente que isso não é facilmente aceito como real. O que é facilmente aceito é esse seu modelo de existência, e não o que estamos propondo aqui. Nosso convite é para que você descubra a estrutura, a base, que sustenta esse sofrimento, para que você possa compreender esse impedimento. Então, você se torna cada vez mais consciente da Realidade sobre si mesmo. 

Você pode se mover além da crença, além dessa identidade presente no corpo e, assim, toda essa estrutura, nesse mecanismo, sofre uma alteração. É evidente que isso nem sempre soa de forma fácil, porque suas crenças estão profundamente sustentadas, ancoradas, nesse sentimento, nesse pensamento, nessa emoção, nessa sensação. Você está há muito tempo viciado nisso.

Eu tenho falado muito sobre isso, tenho usado palavras e ideias novas para falar Daquilo que está além delas. Então, deixe suas ideias, suas crenças, seus modelos, seus condicionamentos para trás. Você pode ter lido muitos livros, ter ouvido muitas falas, ter assistido a muitos vídeos, mas isso não resolveu e não resolverá. Agora, você está acreditando em outras coisas, mas isso ainda é um ato intelectual, ainda está dentro da mente e você ainda não foi além dela. Você tem crenças bastante específicas e eu estou aqui para lhe dizer que essas crenças são o seu impedimento.

Existem algumas crenças que são básicas e simples, as quais não constituem nenhum impedimento para a Realização. Por exemplo: você acredita que a Terra é redonda, que a fórmula da água é H²O e que há a Lei da Gravidade. Você não é um químico, não é um cientista, então, você acredita no que eles dizem. Mas, essas crenças ainda são intelectuais. 

Assim, você tem milhares e milhares de crenças que não constituem nenhum tipo de impedimento para a sua Realização, para a sua Felicidade, para a constatação da Verdade sobre si mesmo. Contudo, existem outras crenças, das quais tratamos em Satsang, que precisam cair, desaparecer: a crença acerca de quem você é, acerca de uma existência separada, de uma identidade separada presente nesse momento – “Eu, o mundo e Deus.” Não há nenhum “eu”, não há nenhum “mundo” e Deus não é o que se imagina. 

Então, isso não é sobre não ter crenças, porque algumas crenças são inofensivas. Quando você bebe um copo d’água, você não precisa conhecer a fórmula da água, nem ter a comprovação científica dessa fórmula, basta continuar acreditando que a fórmula da água é H²O. Mas, do ponto de vista da Consciência, da Natureza Real do Ser, essa crença sobre quem você é carrega o maior de todos os impedimentos e você precisa abandoná-la completamente. 

A maioria das pessoas vive nessas crenças, as quais sustentam outras crenças. A verdadeira Felicidade, a verdadeira Liberdade, é algo muito maior do que qualquer crença; é algo além de qualquer ideia, de qualquer descrição. 

Essa Realização requer uma abertura, que é a vulnerabilidade de viver sem essas crenças. Para uma flor desabrochar, ela precisa se abrir; para que você se torne liberto, você precisa estar aberto à Verdade sobre si mesmo, que é o fim da ilusão da crença desse falso “eu”. Então, como uma flor, quando você se abre, você floresce.

* Transcrito a partir de uma fala em um encontro online na noite de 16 de Fevereiro de 2018 - Encontros online todas as segundas, quartas e sextas as 22h. Baixe o App Paltalk e participe

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui o seu comentário

Compartilhe com outros corações