quarta-feira, 9 de maio de 2018

O Amor é a sua Natureza Real



Primeiro, você acredita em Deus, mas, uma vez que esta Realização esteja aí, é impossível continuar acreditando. Deus é uma realidade inacreditável! Aquele que acredita na Verdade, não conhece a Verdade. A crença é ainda uma necessidade da mente, que tenta se apoiar em alguma coisa. 

Deus é um mistério, e permanecerá sempre assim. Antes dessa Realização, você não O conhece, e agora, dentro dessa Realização, Ele permanece desconhecido. As pessoas querem conhecer Deus, porém elas só podem, na verdade, saber o que elas não são. Você não vai saber quem você é, nem vai saber quem é Deus, dentro dessa Realização. Não vai saber quem você é, porque você não é um objeto fora para ser conhecido ou reconhecido por um sujeito dentro; não vai saber quem é Deus, porque Deus permanecerá sempre um mistério. 

Portanto, essa Realização não lhe dá o conhecimento de quem é Deus, nem o conhecimento de quem você é. Essa Realização lhe dá a visão do que você não é, e o mistério permanece. Liberação, Felicidade, Sabedoria… Esse é o Mistério inominável, indescritível. Então, o Sábio não é “alguém”; Ele é um mistério, como Deus. Isso é algo maior do que esse “você”. Você pode se dissolver Nisso, mas não conhecer Isso.

Existem muitos que estão dando explicações sobre o que Deus é e faz, mas isso é uma engenharia da mente. Você tem que abandonar a mente para ela se dissolver Nisso, que é o Mistério. Você não pode resolver esse Mistério, mas pode se dissolver Nele. Então, você não pode explicar Isso. A mente humana, o ego, é algo tão estúpido que, atualmente, você pode ir a uma faculdade “estudar sobre Deus” e obter um diploma de “doutor em divindade”. Isso é completamente estúpido! Você pode se tornar especialista em uma determinada área do conhecimento, mas esse conhecimento estará sempre dentro do campo do pensamento. Entretanto, Deus é algo fora do pensamento!

Não posso, aqui, ajudá-lo a encontrar Deus, a Verdade sobre quem Você É… Não posso e isso não é necessário. O que eu posso é ajudá-lo a descobrir o que você não é. Você não é isso que se passa dentro de sua cabeça, ou seja, não é esse conjunto de ideias, pensamentos, sentimentos e crenças; você não é esse conjunto de sensações, de experiências. Então, eu posso lhe mostrar como ver O que É, a Vida como Ela É, sem esse conjunto de crenças que estão aí dentro de você. Se você conseguir enxergar a Vida como Ela É, estará livre da ilusão de ser “alguém”. Esse é o mistério de Deus, da Verdade sobre quem Você É. 

Esse é o meu trabalho, em que nada pode e nem precisa ser feito. Tudo o que posso lhe mostrar é a Verdade Daquilo que está aí quando “você” não está, e essa é a Verdade de Deus.  Assim, pela primeira vez, você pode ver a Vida como Ela É, e, então, o Mistério chamado Deus, o “Eu Sou”, se revela. Os filósofos tentam explicar Isso, enquanto os Sábios apenas sinalizam. O Sábio sabe que não pode explicar essa “Coisa”, que não é necessário dar explicações sobre Isso. Tudo que o Sábio sabe é que não precisa saber, só precisa viver – a Vida é somente Isso! Nada precisa ser explicado sobre a Vida, sobre Deus, sobre a Verdade. Eu não posso explicar isso, absolutamente! 

O céu é muito amplo. Você não pode acreditar que está vendo o céu olhando da sua janela, pois através dela você pode alcançar somente uma parte do céu; ele é muito mais amplo do que é visto da sua janela. Posso ajudá-lo a adentrar à beleza da Realidade, da Verdade Divina, mas somente se você aceitar deixar a “sua janela”, sair de dentro da “sua casa”, dar um salto para fora e parar de olhar o céu através da “sua janela”. 

O que posso fazer é lhe mostrar a Vida como Ela É. Posso fazer isso a partir do momento em que você abandona a ilusão, as suas crenças. A Verdade não pode ser explicada. Ela é a sua Natureza Verdadeira, a Natureza de Deus, o Mistério inexplicável; a Verdade É em ação, não em palavras. Realização é a ação dessa manifestação Divina, não é esse blá-blá-blá que está por aí, que são somente pensamentos, novas crenças. 

Não se preocupe em tentar compreender Isso; você não pode. Há mais de dois mil anos a teologia cristã está tentando compreender Cristo, assim como a teologia budista está tentando compreender Buda, e os estudiosos estão tentando compreender os Upanishads, as escrituras dos Vedas, as palavras dos Sábios… Ou seja, não é somente você que está procurando a Verdade. Na realidade, a Verdade também está procurando você. Não é só você que está procurando Deus; Ele também está à sua procura. Você é como aquele filho pródigo, da parábola de Jesus, que se afastou da casa do Pai. 

A imagem de Krishna é com uma flauta, a de Buda é ele assentado em silêncio e a imagem de Jesus é de braços abertos, com suas duas mãos cravadas em um madeiro, mas é a imagem do Pai esperando por seu filho. Buda está aguardando no silêncio, Krishna está tocando flauta e Jesus Cristo está de braços abertos. Não é somente você que está procurando Deus; Ele, também, está procurando você… Isso é Deus à procura de Si mesmo, encontrando-se Consigo próprio! É Deus se encontrando! O Mistério continua um mistério, mas a ilusão, o sofrimento e o medo terminam, assim como toda a sua vaidade, arrogância, presunção, orgulho, desejo, aflição, confusão e desordem. 

O Amor é a sua Natureza Real, a Natureza da Verdade, do Ser, de Deus. O que quer que eu esteja dizendo sinaliza a Verdade, mas não é a Verdade, porque Ela não pode ser dita, nem explicada. Minhas falas funcionam como um martelo em uma mão, batendo numa porta: ou a porta se abre ou algo se quebra com a força das marteladas. Essa “porta” tem que se abrir ou essa “coisa” precisa ser quebrada. Algo tem que ser rompido, desfeito; “sua casa” tem que ser explodida, assim como “sua janela”. O céu é muito maior que você! Daqui, eu posso ver que você está perdendo Isso há muito tempo. Tenho que ajudar você a romper com esse hábito de ficar dentro dessa “casa”, detrás dessa “porta” que nunca se abre. 

As pessoas vivem lutando, mas você não nasceu para lutar, nasceu para festejar. Mas, olhe para você! Envolveu-se em toda enrascada possível, abarrotou-se de deveres e obrigações e tem que justificar isso para o mundo à sua volta, para pessoas que estão lutando como você. 

Esse é o modelo que você segue. Assim, as obrigações logo chegam e fica muito pesado ser “alguém”. Você cresce e, então, tem que casar, ter filhos, sustentar a família, ter uma casa ou pagar aluguel, e, consequentemente, tem que trabalhar para pagar tudo isso. Tudo isso é tão difícil! Depois, os seus filhos têm filhos, que, também, têm que ser “bancados”, e tudo continua. Além disso, olhe para o mundo à sua volta! Todos têm que comprar roupas bonitas no Shopping Center, ou têm que comprar e dirigir um carro bonito, mas é preciso ter dinheiro para fazer tudo isso e ser igual a todo mundo. 

Você tem que cumprir muitos deveres, muitas obrigações e papéis sociais… Tem que mostrar para a família que está bem-sucedido, com filhos, igual a todo mundo, ou justificar porque não teve filhos ainda, ou porque só teve um e não tem mais, ou porque não se casou ainda… Todas essas coisas, deveres, obrigações e invenções são tão estúpidas, medíocres!

O que está faltando na sua vida é o Mistério de Deus, é a Verdade, é a Felicidade do seu Ser. Você vive tudo isso, que é o que todos esperam que você viva, e também acredita que é só isso que tem que viver, mas continua infeliz, estúpido, cheio de medos, desejos, apegos, conflitos e preocupações. Você paga um preço tão alto para ser o que todos esperam que você seja, para ser tudo o que você deseja ser, mas, depois que você “se torna” tudo isso, descobre que ainda não é o que deseja ser, que nada foi resolvido, que ainda é infeliz e continua tendo problemas. 

Diante disso, você dá um grito e diz: “Será que pode parar para eu descer? Quero descer daqui!” É isso que o Sábio faz: ele desce. Ele não vai; ele desce. Ele diz: “Quero sair de todas essas ‘ligaduras’, sair dessa prisão. Tenho que sair disso, das historinhas. Quero descer desse mundo. Fique aí você com seu adorável mundo, que eu quero descer dele e cair fora dessa prisão”. Por isso que, na Índia, eles chamam de Moksha, palavra que significa Liberação, porque é a liberação mesmo!

Essa Liberação, que não é um conceito, é uma realidade na vida do Sábio, daquele que realizou a Verdade sobre si mesmo. A Liberação implica o fim do trabalho, do conhecimento, da experiência, dos desejos, do medo. De repente, o céu se torna claro, aberto, não há mais casa, não há mais janela, não há mais nada inteiro, porque tudo foi quebrado. Depois, você descobre que, na verdade, não há nada quebrado… e nem mais céu tem! Não tem mais nada!

* Transcrito a partir de uma fala em um encontro online na noite de 02 de Fevereiro de 2018 - Para participar baixe o App Paltalk. Encontros todas as segundas, quartas e sextas às 22h.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui o seu comentário

Compartilhe com outros corações