segunda-feira, 26 de março de 2018

Existe apenas uma Natureza presente




Você, em sua Natureza Real, não é uma entidade separada, não é uma pessoa. Você é essa Onisciência, essa Onipotência, essa Onipresença. Eu falo de sua Natureza Real! A mente, o corpo e suas experiências… nada disso é você! As experiências da mente e do corpo são experiências da Natureza. Mesmo a ideia da presença de um mundo também é só uma crença. Você descobrirá que não existe nenhum mundo, nenhum universo; existe apenas uma Natureza presente, que é só uma expressão dessa Onipresença, dessa Onipotência, dessa Onisciência. Isso não é pessoal!
Essa é uma visão clara dessa Realidade, que está além do nome, da forma, do corpo, da mente e do mundo. A experiência “mundo” é uma experiência “corpo-mente”, que é natural, existencial, mas não é pessoal. Eu sei que isso o destrona como uma entidade presente, tira esse “você” do seu reinado. A princípio, isso é muito desesperador, porque todos os seus desejos e sonhos, todos os seus projetos, não têm qualquer importância real, porque são só imaginações, e nada disso está acontecendo para “alguém”. Tudo aquilo que você vive, quando se refere a si mesmo como o corpo e a mente, é algo que acontece de uma forma natural, mas não está acontecendo para você em sua Verdadeira Natureza, para esse Você Real.
Nesse momento, por exemplo, existe a experiência “corpo” neste ouvir e neste falar, mas não há “alguém” ouvindo ou falando. Isso é bastante engraçado… Se você se reconhece nesse Você Real, em sua Verdadeira Natureza, você descobre que é esse Imperecível Ser, essa Imutável Presença, essa Indescritível Consciência. Portanto, você nunca nasceu nem nunca morrerá. Tudo é essa Consciência, tudo é esse Ser!
Quando esse sentido do “eu” – preso a experiências, sentimentos, emoções e sensações – desaparece, o sentido ilusório de “pessoa” desaparece. Quando eu falo isso, as pessoas acreditam que serão completamente aniquiladas. De certa forma, elas estão certas! Mas, na verdade, elas não serão aniquiladas… Elas nem existem! Haverá apenas a constatação de que nunca houve pessoas presentes; de que não há pessoas!
Nessa Realização, você descobre que nunca esteve aí como uma entidade separada. Assim, você não é aniquilado; você, simplesmente, não é real! No entanto, há Algo presente quando esse “você”, que você acredita ser, não está; e esse “Algo” é indescritível! Você é sempre Isso (a palavra “sempre” também não é adequada). Você é Isso que é anterior ao tempo, Pura Inteligência, Pura Graça, Pura Beleza, Pura Verdade, Pura Felicidade (não teoricamente, não conceitualmente, não verbalmente). Apreender o significado Disso é Iluminação, é Liberação.
Aquilo que o traz a esse espaço é esse anelo pela Verdade, que é essa própria Presença, que é Onisciência, que é Onipotência. É um chamado da Graça para a Graça. Aqui, essa noção tão comum a todos, de verdade e ilusão, bem e mal, divino e profano, certo e errado, do que é e o que não é, todo esse fenômeno de contraste, vai perdendo completamente a importância, porque isso está ligado à mente, àquilo que a mente conhece. Essa dualidade é muito importante para o sonho, no qual você é muito importante!
Quando você acorda pela manhã, você não dá mais importância nenhuma ao sonho que teve à noite, certo? Era só um sonho, e tudo aquilo desapareceu! Bastou você acordar para perceber que aquilo só estava em sua cabeça. Da mesma forma, você realiza essa constatação da ilusão “ego-eu-mim-pessoa”. Quando esse sonho termina, tudo isso termina.
Essa ilusão é só o modo como o pensamento representa aquilo que acontece. A questão é que você passou muito tempo – e ainda está – preso a esse modelo. Você se confunde com esses pensamentos, com a ideia desse experimentador na experiência “corpo-mente-mundo”. Então, o mundo passa a ser real para esse “alguém” dentro do corpo. Isso está dentro desse sonho “eu-ego”.
Esse espaço chamado Satsang é um convite para a Liberação. A Liberação é o fim dessa ilusão! Isso significa esse Silêncio não dual, o fim do sentido de um “eu” presente, o fim desse “seu mundo”. A vida continua seguindo, tudo continua acontecendo como tem acontecido desde sempre — já está acontecendo sem você, mas você acredita que está nisso. Quando não há mais essa ilusão de você presente nisso, o sofrimento termina. Todos os seus problemas estão nessa base chamada “você”, que é essa ilusão de ser alguém. Então, o seu problema é uma ilusão. Quando você vai além desse “você”, fica somente esse Você Real, que não é um “você” pessoal, particular.
Portanto, fica aqui esse convite para trabalharmos isso. A única coisa que você está aqui para fazer é isso. Você não tem mais nada a fazer nesse mundo!

*Transcrito a partir de um encontro online na noite de 26 de Agosto de 2016 (2ª parte) Encontros todas as segundas, quartas e sextas as 22h - Baixe o App Paltalk e participe

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui o seu comentário

Compartilhe com outros corações