quinta-feira, 7 de setembro de 2017

O que é a realidade?


Olá, pessoal! Sejam bem-vindos a mais esse encontro aqui pelo Paltalk! É muito bom estarmos juntos, com você se dando essa oportunidade da investigação da Natureza do Ser.

Qual é a sua realidade? O pensamento, assim como o sentimento, tem criado uma realidade: a experiência desse momento, pelo pensamento e sentimento... A mente consegue dar uma realidade a isso – a realidade que a mente cria e imagina.

A pergunta para você é: O que é a Realidade? Nós temos a Realidade e temos a “realidade” que a mente cria. Saber sobre essa oportunidade de investigação e assumir isso como algo real para a sua vida, é o que, aqui, nós temos de fundamental... É dedicar o seu coração, toda sua energia, disposição, a essa grande descoberta da verdade sobre si mesmo, a descoberta da Realidade.

Hoje, os meus dias são dias de Realidade. Eu percebo o quanto, na mente, as pessoas vivem aflitas, procurando criar para elas mesmas algo que as preencha, que possa realizá-las e dar a elas “paz e liberdade”, “amor e felicidade”. Porém, elas estão caindo, vez após vez, nessa armadilha da “realidade” que a mente cria. Isso é como a experiência de enxugar gelo... Você pode tentar isso, o quanto quiser, pelo tempo que quiser, mas o gelo nunca vai secar. Ninguém, até hoje, conseguiu enxugar gelo, nem conseguiu a felicidade sendo “alguém”, fazendo escolhas, tomando decisões, trabalhando em direção aos seus projetos.

Você já fez uma faculdade, já conseguiu uma noiva ou um noivo, casou, alugou ou comprou uma casa, já teve dois filhos ou meia dúzia, já se tornou um empresário, montou uma banda de Rock and Roll (descobriu que tem uma boa voz para cantar e tornou-se vocalista da banda), tornou-se popular e agora você tem muitos fãs, viaja pelo mundo, mas continua tentando sufocar essa infelicidade através do uso de drogas e de outros expedientes.

Não é possível enxugar gelo, não é possível ser feliz. Felicidade não é alguma coisa que você alcança, que trabalha, trabalha, e realiza. Na verdade, quanto mais você busca isso, mais se afasta disso. O “gelo” está sempre do lado de fora e não tem como você realizar a Verdade do lado de fora – isso que eu acabei de chamar de “realidade” da mente. É necessário ir além da mente, além da sua experiência pessoal.

O sentido de pessoa é uma grande limitação, é a única autolimitação. Baseados nisso estão os seus sonhos, que são parte da mente, dessa ilusão de ser “alguém”. Quando se movimenta, você se afasta de si mesma, de si mesmo, porque todo movimento é para a exterioridade, para fora. Não há nenhum movimento nesse instante. Assim, isso não é alguma coisa para ser alcançada, conquistada; é sim algo para ser presenciado nesse instante, como a única Realidade que está aqui e agora.

Essa não é a realidade da mente, porque a realidade dela está na noção de espaço e tempo. No espaço estão as coisas que a mente cria e que ela busca alcançar; no tempo está a noção de realização e processo para se chegar lá. Essa é a realidade da mente, a realidade do “eu”, do “mim”, da pessoa que você acredita ser. Então, você precisa do tempo e do espaço. É por isso que a mente é muito gulosa – ela adora ter coisas. Ela busca se preencher em objetos, amizades, em relacionamentos... Ela vive cercada de uma grande multidão. O comportamento da mente é sempre nessa direção: multidão de coisas, multidão de pessoas, multidão de informações.  Ela está sempre fugindo, na sua limitação, e sempre procurando preencher essa limitação com infinitas coisas. Esse movimento dela cria somente confusão, porque, quanto mais coisas ela tem, mais aflita e limitada ela se sente.

Uma coisa curiosa sobre a mente, é que tudo que ela toca, ela envelhece, e depois quer substituir, porque aquilo não a preenche mais. Quando você encontra uma coisa nova, como um carro, uma casa, um namorado, um marido, algumas semanas depois, ou dias, ou horas, ou minutos, isso já está velho. Tudo que a mente toca, ela envelhece e depois quer substituir. No começo ela fica eufórica, sente-se preenchida, valorizada e realizada, tentando “enxugar gelo”, ou seja, encontrar a felicidade nas coisas dela.

Quando não há mente, não há nada velho, não há nada novo. Escutem isso: quando não há mente, não há espaço para coisas, não há tempo para projetos, desejos, sonhos; quando não há mente, há somente a Realidade Única, Verdadeira, que não é a realidade da mente (tempo, espaço, objetos, realizações, sonhos, desejos); quando a realidade da mente não está, a Realidade deste instante é essa Consciência, é essa Presença, é esse Amor, é essa Paz, é essa Felicidade, é a Realidade do Ser, é a Realidade de Deus.

Isso é simples ou é complexo? Você está aqui para descobrir que está Aqui. O que quero dizer é o seguinte: somente estar aqui é Real. Estar Aqui é Ser! Ser é estar Aqui! Agora é Aqui, além do tempo e do espaço. Além da mente é Aqui e não há nada além Disso. Então, isso é Realização de Deus, é a Realização da Felicidade.

Quando você está em Satsang, algo acontece e a noção do tempo e espaço desaparece. O que acontece é que você está Aqui. Talvez isso signifique, no relógio, três segundos, mas você não precisa de três segundos para constatar que o único lugar é Aqui e a única coisa Real é Aqui, onde todo sentido de um “eu” não está, com suas escolhas, desejos, suas pequenas ou grandes coisas, e assim por diante.

Esse recado para você tem esse propósito: fazer-lhe constatar que a única Realidade é Aqui. Aqui é o lugar onde seu Ser não tem nenhuma noção de espaço e tempo... Aqui! Podemos usar qualquer palavra no lugar dessa expressão, todavia estamos apontando para Aquilo que é não espacial e atemporal... Aqui!

Ok! Até o próximo encontro! Namastê!

*Transcrito a partir de um encontro online na noite do dia 21 de Julho de 2017 
Encontros todas as segundas, quartas e sextas as 22h - Para participar é só baixar o App Paltalk

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui o seu comentário

Compartilhe com outros corações