segunda-feira, 26 de dezembro de 2016

Meditação é Ser



Eu não sou o que você não é! Portanto, eu não sou o Guru e você não é o discípulo, ou discípula. Eu sei que não é confortável... Há algo em vocês que não quer a Felicidade que procuram. Eu vou repetir isso: você está buscando Paz, mas tem algo em você que não quer a Paz; você está buscando a Liberdade, mas tem algo em você que não quer a Liberdade; você está buscando a Felicidade, mas tem algo em você que não quer a Felicidade; você está buscando o Amor Real, mas tem algo em você que não quer o Amor Real. Você quer coisas substitutas e passageiras, como essa alegria – ou esse preenchimento egoico – presente na satisfação de estar realizando algo ou vendo coisas acontecerem porque “você” está ali, sendo “alguém” nesse fazer. Isso é assim e não há saída para esse labirinto, porque ele é uma ilusão. Esse “alguém” dentro desse labirinto é, também, uma ilusão. 

Não tente encontrar uma solução para aquilo que não tem solução. Relaxe e permita-se assumir a Verdade de que você não é o corpo, não é a mente, não é o agente, não é alguém, porque, enquanto essa ilusão ainda estiver aí, em alguns momentos você estará preenchido por algo, mas, em outros momentos, não. Assim, você sempre viverá nessa dualidade entre o prazer e a dor, entre a alegria e a tristeza. O interesse pessoal sempre estará presente nesse "preencher-se" sendo alguém para alguns e "fazendo uma diferença" na vida deles ou delas... É sempre a ideia de alguém presente, e isso não é Amor, não é Liberdade, não é Felicidade, não é Verdade, não é Real Alegria. 

Realizar Aquilo que Você É, não é perder a vida; é assumir a Vida com tudo o que ela representa, com a totalidade da completude que o Amor e a Sabedoria representam. 

Estou convidando você para a Meditação, que é a ausência do “sentido do eu” numa dada experiência, seja ela qual for, a mais sublime ou a mais insignificante. Eu estou convidando você para a Meditação, que é a ausência da mente nesse movimento caótico e insatisfatório do tempo; nesse movimento do conhecimento e da experiência. Então, Meditação é Ser! Não é uma prática, onde você tem momentos de Ser, mas logo a mente volta, e, com ela, a cultura e o conhecimento; a “pessoa” com sua história volta e, então, o conflito aparece, porque ISSO não pode ser obtido, realizado ou conquistado por uma prática. Mas a mente quer conquistar a Iluminação, quer obter Isso, para ser uma aquisição dela. 

As pessoas vêm a mim e querem ISSO, mas querem no tempo delas, pois não querem se dar tempo para ir além do tempo; elas não querem se dar – pacientemente, conscientemente, amorosamente – tempo para ir além do tempo. ISSO não é uma coisa para se resolver num workshop, num plano de aula de 48 horas; ISSO é para a sua vida! É preciso colocar a sua vida Nisso! Você nasceu para realizar ISSO; você tem essa “sua” vida para realizar ISSO! Temos aqui algo paradoxal, porque ISSO não vai ser realizado nessa vida. É agora que, em sua Real Natureza, ISSO será realizado, aprendido ou compreendido, porque não está no tempo. É o corpo que está no tempo, que impõe limites, que tem um prazo determinado para expirar... O corpo está marcado, como uma ampulheta de areia, e chegará a hora em que “vai cair o último grão de areia” e ele vai parar. Isso está determinado! Seu corpo tem um tempo, mas sua Vida, não.

Não tem essa questão de Guru e discípulo; apenas nos assentamos juntos, como Um só, investigando uma Coisa que é comum a ambos. ISSO não é, de fato, estranho para você, porque é a sua Natureza Real. ISSO não faz de você “alguém” certo ou o único certo. Não tem alguém! Não há certeza de nada! Só há uma certeza e essa certeza não é o que eu sou, é o que Você É!

A única certeza que você tem é que Você É, quando nada mais é. Por exemplo: agora, onde está a sua casa? Eu falo “casa” e aí você lembra. Onde está o seu filho? Eu falo “filho”, aí você lembra. Onde está a sua história? Eu falo “história”, então você lembra. Quando eu digo, você lembra e a mente vai buscar a história; quando eu falo do filho, ou da casa, a mente vai buscar... São imagens, lembranças, pensamentos, imaginações. No entanto, a única certeza real é que Você É, quando não existe mais mundo – tudo está somente na sua cabeça, se passando por “realidade”. Escute claramente isso: seu Ser é a única Realidade; não tem história! A história está na superfície, não está na Profundidade, no Centro, na Realidade, no Cerne... No Cerne, Você É o que Eu Sou. As preocupações, as aflições, os desejos, os medos e os conflitos estão nessa periferia, na superfície. 

Nesse contato com vocês, sempre o que eu digo para um, eu digo para todos, porque eu não trato com pessoas, mas, sim, com a mente egoica. Curiosamente, paradoxalmente, eu não tenho nada a ver com a mente egoica... Eu trato é com Você. Então, o que falo é valido para todos aqui! Você tem essa vida para realizar ISSO e isso significa que a sua rendição, essa entrega, é sem negociação. Eu não vou negociar com você! Você está aqui para realizar o que Você É e para isso você tem mais 40, 50, 60 anos ou mais dois meses ou duas semanas ou duas horas ou mais vinte minutos para parar de brigar com você mesmo e assumir a Verdade de sua Natureza Real; para despejar todo esse “lixo”. Eu chamo de lixo toda essa estrutura de crenças, opiniões, conclusões, teorias...

O que a sociedade lhe deu é lixo. Olhe a “pessoa maravilhosa” que você se tornou com tudo o que a sociedade lhe deu, não é? Não é verdade? Não há conflito, não há sofrimento, não há... Então, você está relaxado, descansando? Não tem que viver tentando fazer, realizar e obter? A sociedade lhe deu isso. Olhe aí para você, para tudo o que ela lhe deu... Olhe aí como é precioso! A sociedade ensinou você  a “amar”, a “ser feliz”, não foi? Ensinou tudo, não foi? Olhem para vocês... Todos tão cultos, “estudados”... Vocês são felizes, não são?

Quando você é pequeno, eles perguntam o que você quer ser quando crescer. Aí, alguém dá uma tapinha nas suas costas e diz: “Estude para você ser gente!” Olhe para você... Agora você é “gente”! Todos disseram que você ia ser feliz depois da faculdade e, agora, olhe para você... com pós-graduação... Como você está feliz! Olhe como tudo o que a cultura lhe deu fez você “relaxar” em sua “felicidade interna”. Olhe para isso! Não é, não? Então, o que a sociedade lhe deu? Portanto, meu convite é para você soltar isso, voltar para dentro e constatar a sua Divina Natureza. Isto é o fim da ilusão; o colapso da ilusão!

*Trecho de uma fala transcrita a partir de um encontro na cidade de Fortaleza em Outubro de 2016

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui o seu comentário

Compartilhe com outros corações