terça-feira, 1 de novembro de 2016

Um veneno produzido pela mente






Vocês não têm que se importar com o que a mente produz. O corpo produz substâncias e algumas delas são muito venenosas se continuarem no corpo. Então, o corpo as elimina através do suor, da urina, das fezes. Se essas substâncias permanecerem ou caírem na corrente sanguínea podem criar um colapso na máquina [corpo], podem derrubar, destruir a máquina, porque são venenosas, devendo ser completamente expelidas. 

Em razão dos alimentos, da água, do ambiente (como aquilo que você respira), o corpo pega essas substâncias externas e as transforma em substâncias que agora são venenosas, que têm que ser eliminadas. Isso é natural; o corpo está fazendo isso o tempo todo.

Você come, uma parte é aproveitada, outra parte se torna veneno se continuar dentro da máquina; então, tem que ser expelido. Não é assim? Perguntem aos fisiologistas, aos médicos, aos doutores; eles dizem que é assim. Então, escute com atenção o que eu vou dizer para você: o pensamento, também, é um produto que se for assimilado, é muito venenoso, para máquina.

Você vê uma mulher bonita e não fica com a beleza dela, com a alegria do olhar, do apreciar. Você transforma aquele objeto num objeto de desejo e isso é o pensamento que faz. Então, aquela imagem se torna um "veneno". É muito maluco, muito doido, você imaginar ter tudo o que deseja, porque você sabe que não pode ser assim. Você não pode ter tudo. Mas o ego quer ter tudo o que deseja, e é por isso que ele está em apuros. Você sabe que não é porque viu algo, como por exemplo um carro muito bonito, que ao vê-lo você diz "eu tenho que ter aquele carro" (e quer tanto, tanto, que você vai roubar do outro para ter).

A mente está o tempo todo produzindo, através do pensamento, alguns venenos no sistema, nessa estrutura corpo-mente, nessa máquina. Ela está o tempo todo produzindo os seus desejos e você sabe que não pode ter tudo o que deseja; não pode e nem precisa ter tudo o que deseja. Isso é pura vaidade do ego, e pura maluquice da mente egoica. Sim ou não? Compreendem o que eu quero dizer? Portanto, como o corpo está produzindo substâncias nocivas, provenientes do ambiente, a partir do que ele ingere, respira, e assim por diante, ele tem que eliminá-las. Você também precisa eliminar desse sistema, dessa máquina, tudo o que o que essa mente egoica pelo pensamento produz.

Então, vamos lá... Não valorize pensamentos, pois pensamentos circulando na máquina são perigoso. É como uma quantidade de urina na bexiga, a princípio 10 ml, depois 200 ml, que vai aumentando; chega uma hora em que a bexiga tem que se livrar daquilo, porque aquilo é venenoso, é altamente nocivo, perigoso. Da mesma forma, na sua cabeça o pensamento está produzindo "urina". Assim, o pensamento é uma "substância que se transforma em algo muito complicado, muito venenoso" se continuar na máquina. Compreendem?

Quanto mais pensamentos você tem, mais  identificado com ele, mais confia nele, mais , envenenado você está. Você não precisa do pensamento. O pensamento precisa de você, mas não você do pensamento. Nós temos invertido isso. O pensamento precisa de você para aparecer, mas você não precisa do pensamento. Ele precisa dessa consciência, como a nuvem precisa do céu. Imagine uma nuvem sem céu... O pensamento precisa da consciência, mas a consciência não precisa do pensamento. O céu não precisa da nuvem, para dizer: eu estou aqui, eu sou. O céu está aí sem nuvens, “tá na boa”, mas a nuvem precisa do céu, para ser importante, para ser olhada, para que se diga: “ah, que nuvem linda”, “ah, que nuvem escura”, “ah, que nuvem...”

O pensamento aí dentro não é o problema. O problema, como na questão de ter um pouco de urina na bexiga, todos têm. Se fizer um exame neste momento, eles vão saber a quantidade exata de urina na bexiga; agora, todo mundo aqui tem urina na bexiga. Você acaba de urinar e o corpo começa a produzi-la; isso é natural, faz parte dessa máquina.

Hoje, pela manhã, alguém perguntou para mim: "como é isso, o pensamento? Por que a gente acorda pela manhã e os pensamentos começam a aparecer?" Então, eu já estou dando uma resposta geral, aqui, para todo mundo. 

O pensamento começa a aparecer pela manhã, assim como a urina começa aparecer depois que você acaba de urinar. O problema não é o pensamento. O problema é: você fica o tempo todo tentando calcular e se ocupar com essa ideia do que se passa na sua bexiga? Responda para mim. Você vive assim, se preocupando com o que acontece com a sua bexiga?... "Agora eu acho que tenho 10 ml de urina na bexiga, agora eu tenho 30 ml, eu tenho 50ml"... Sim ou não?  (Não). 

Então, por que você deve se preocupar com essa doideira, que é o movimento do pensamento, que aparece e produz algo como uma imagem!? É porque, quando faz isso, você tenta agarrar isso e dá valor a esse movimento. Assim, a sua energia de atenção, que deveria estar em Ser, passa a estar em não Ser, ou em ser o que você acredita que "você é". Desta maneira, você vive sempre onde? No passado ou no futuro, certo!? Então, a questão não é se os pensamentos aparecem. A questão é: você é isso? 

O pensamento é esse movimento venenoso no passado ou no futuro. Ele está envenenando o seu Ser, sua Natureza Essencial, com o passado ou com o futuro.


*Trecho de uma fala em um encontro presencial no Ramanashram Gualberto em Campos do Jordão

Um comentário:

Deixe aqui o seu comentário

Compartilhe com outros corações