quinta-feira, 10 de novembro de 2016

Felicidade é a Verdade, agora!




A Verdade não está fundamentada no conhecimento. Geralmente, o pensamento tenta fundamentar a Verdade em alguma forma de conhecimento. Se o conhecimento é poderoso para a mente, ele se torna verdade. Mas a Verdade não está fundamentada no conhecimento. A Verdade está fundamentada na Felicidade! O seu interesse real, em Satsang, pela Verdade, não deveria ser o interesse pelo conhecimento. Ser impressionado pelo conhecimento é algo muito fácil. Mas a Verdade não é um conhecimento especial. A Verdade é a expressão da Felicidade! Seu interesse, aqui, pela Verdade, é o seu interesse pela Felicidade. O critério da Realização é essa Felicidade. 

A questão é: onde está isso? Onde está a Verdade que é Felicidade? Onde está a Felicidade que é a Verdade?
 
A Felicidade como Verdade não pode estar separada deste momento presente. Na mente, você vai encontrar a felicidade, um dia. Na mente, você precisa estudar, estudar bastante, para encontrar a verdade. Em Satsang, você descobre que estudar, adquirir conhecimento, não lhe dá a Verdade. Em Satsang, você descobre que a Felicidade é algo presente, como sua Natureza Real, como sua Natureza Divina. Portanto, também não é algo para ser alcançado. 

Então, vamos à resposta direta a essa pergunta: o que é a Verdade? 

A Verdade é a natureza do Ser, é a expressão da Felicidade. Quando a Felicidade se expressa, se expressa como Verdade, e Ela se encontra além do conhecimento, fora do conhecimento. Portanto, não é algo que possamos aprender, possuir, adquirir, obter. Nós não separamos, nunca, Verdade de Felicidade. Você não encontra a Felicidade na procura Dela. Você constata a Felicidade na realização da Verdade sobre Si mesma, sobre Si mesmo. 

Vamos falar um pouquinho sobre isso. 

A pergunta ainda continua: onde está a Verdade? Onde está a Felicidade? Eu digo para você que a Verdade está presente quando a mente não está. Eu digo que a Felicidade está presente quando a mente não está. Agora mesmo, este momento é um momento de Verdade. Quando eu digo "um momento de Verdade", eu falo que esse momento é um momento que contém toda a Verdade. Então, é um momento da Verdade, e a Verdade é estar com a Vida como ela se expressa. Isso parece uma coisa, assim, simples de ser colocada, mas é uma tarefa de constatação extremamente valiosa. 

O hábito geral (da pessoa) é de interpretar, traduzir, colocar em seus próprios termos, dentro de sua própria escolha e julgamento, aquilo que acontece neste momento. Quando você faz isso, você está presente como uma entidade experimentando, avaliando, julgando, classificando, aceitando ou rejeitando. Quando você faz isso, não há Verdade. Você sobrepõe as suas ideias à Verdade deste momento, à Verdade deste instante, à Vida como ela se mostra neste momento. Todos fazem isso! Quando você faz isso, este presente momento não é inteiro, não é completo. Quando ele não é inteiro, quando ele não é completo, não há Verdade. Quando não há Verdade, não há Felicidade. 

Deixe-me dizer isso para você. O que significa "constatar a Verdade"? Significa ficar com o que se apresenta, sem julgamento, sem comparação, sem classificação, sem leitura, sem interpretação. Mas a mente está viciada em fazer exatamente o contrário. Sempre agora, neste instante, neste momento presente, está a Verdade, que é Felicidade! Mas o pensamento não pode alcançar isso. Tudo o que o pensamento faz é traduzir, em seus próprios termos, dentro de sua terminologia, dentro de suas particularidades, aquilo que se mostra, aquilo que se apresenta, aquilo que acontece, aquilo que acontece agora. Esse é basicamente o condicionamento humano, o condicionamento da mente egoica. Nunca esse momento é importante! Então, a Felicidade que a mente projeta está fora da Verdade que se revela agora!

Reparem que nós nunca separamos Verdade de Felicidade, mas a mente faz isso. Jamais um ser humano encontrou a Felicidade. Felicidade não está no tempo. O tempo é uma ideia, é um pensamento. É um pensamento do que virá, do que acontecerá, do que chegará. Esse pensamento é uma imaginação. Felicidade não é encontrada na imaginação, e sim na Verdade! Mas, na Verdade, ela não é encontrada como algo separado. Então, ela não pode ser encontrada pela mente. Essa mesma mente está o tempo todo classificando, comparando, julgando, avaliando, idealizando sempre alguma coisa para depois deste momento. 

Encontrar a Felicidade é constatar a Verdade presente neste instante, como Ela é. Isso é pura constatação. Não é uma realização, no sentido de algo sendo encontrado. É uma constatação, no sentido de algo sendo percebido. Quando você olha, escuta, sente, toca, quando a experiência está presente sem uma interpretação, você está diante da Verdade, e a Verdade se apresenta como Felicidade. 

O segredo é abandonar a ideia de encontrar algo fora deste instante, deste momento presente. Deus é este momento! O Amor é este momento! A Liberdade é este momento! Isso é a Verdade! Isso é a Felicidade! É onde o seu Ser se encontra! É onde a mente nunca entra! A mente não conhece algo fora dela mesma. Tudo o que ela conhece está dentro dela própria, e o que ela conhece é o tempo.



Aqui, todo o sofrimento humano, todo aborrecimento, toda contrariedade, toda dor, toda miséria, está dentro dessa ilusão que é a mente – a mente que traduz, que interpreta, que julga, que está sempre rejeitando o que se mostra, procurando algo diferente. 

O que acabamos de colocar para você, aqui, nessas palavras, é a arte, ou o segredo, da Meditação. Meditação é assumir a Verdade de que não há nada fora Dela. Assumir essa Verdade! A Verdade de que não há nada separado Dela. Ela é isso que se apresenta; Ela é isso que se mostra; Ela é aquilo que acontece; e, Nela, você não está como uma entidade separada, como alguém pensando, tirando conclusões, avaliando, interpretando e traduzindo. Você fica em seu Ser, que é a Verdade. Todo o seu posicionamento de opiniões, de gostar e não gostar, não entra aqui. Quando isso não entra, a Verdade está presente, a Felicidade está presente. Deus é isso! O Amor é isso! A Liberdade é isso! 

O nosso condicionamento, ou o condicionamento humano, é para pensar, o tempo todo, em termos de escolhas, predileções e preferências. Nós estamos condicionados a buscar soluções para situações, e isso está, constantemente, criando problemas. Como buscamos soluções e resoluções para situações, nós transformamos essas situações em problemas com os quais temos que lidar. Esse é o nosso condicionamento. Até mesmo onde não há absolutamente nada para se fazer; quando você não tem absolutamente nenhuma situação (a ser resolvida), o condicionamento mental é tal que você vai encontrar um problema, você vai buscar um problema, porque o vício é traduzir o que se apresenta em termos de que algo precisa ser mudado, em termos de problema. 

Eu estou dizendo para você nesse encontro: seu único problema é a ilusão de que você está aí. Isso implica alguém importante para classificar o que acontece, para julgar o que acontece, para comparar o que acontece, para rejeitar o que acontece, para aceitar o que acontece, para tentar mudar o que se apresenta. 

Notaram isso, já? 

Nada está bem, nada está no lugar. Como pode haver Verdade se a mente está o tempo todo fazendo isso? Como é possível você realizar – e aqui, realizar é constatar a Felicidade presente em sua Natureza Verdadeira – se não há Verdade? 

Tudo o que você faz é sobrepor a isso que acontece uma ideia de como as coisas deveriam ser. Observe a insatisfação, o tempo todo, em que a mente vive. Olhe para si mesmo, para si mesma, e observe o quanto ela está, o tempo todo, procurando algo fora deste momento. É isso que cria o tempo. O que cria o futuro ou o passado é a ideia, neste presente momento, de que o que está se mostrando não é real. Isso é um véu cobrindo ou tentando cobrir a Verdade, e a Verdade é o que É. A Verdade é o que se apresenta, é o que se mostra, é aquilo que acontece. 

Nessa fala, eu estou colocando para você... investigando, de uma forma bem sucinta, onde está a Felicidade, onde está a Verdade. Repare que Ela está numa dimensão fora do tempo, portanto, não pode ser alcançada, mas pode ser constatada. Fora do tempo porque está fora do pensamento. É o pensamento que cria o tempo: passado, presente, futuro. E estou, com isso, também sinalizando para você que a Verdade, além de Felicidade, é Meditação. Meditação é a arte da Felicidade. Meditação é a arte da Sabedoria, porque a Meditação expressa a Verdade. Meditação, quando está presente, não tem "você". Aqui, "você" é essa mente, é esse condicionamento, é esse padrão de escolha, inconformismo, ou de conformismo, de aceitação ou rejeição, e assim por diante... 

Então, temos a resposta para "onde está a Felicidade?" A Felicidade, a Verdade está na Meditação, e a Meditação está fora do tempo, fora dessas suas escolhas, fora dessa sua pessoalidade.



Nós ficamos horrorizados quanto a isso, quando falamos da possibilidade da morte, mas a morte é uma coisa muito simples. É o fim da pessoa, e isso pode acontecer antes do fim do corpo. Na verdade, é quando precisa acontecer, até porque só assim pode ser real. Só pode ser real o fim da pessoa antes do fim do corpo! É possível viver fora do tempo, dessa ilusão de ser alguém por alguns anos, ou mesmo por alguns segundos, mas é fundamental que isso aconteça agora! Após o corpo ter ido, você fala do futuro. Enquanto o corpo está presente, só fale deste instante, deste momento. É sempre agora... É sempre agora. 

Sempre aqui, neste instante, você descobre aquilo que, verdadeiramente, Você é. Você é a Verdade! Você é a Felicidade! Você é Meditação! Você é Deus! É Amor! É Liberdade! E isso é agora! Não tem nada a ver com perder a "pessoa" perdendo o corpo. Tem tudo a ver com perder a ilusão de ser o corpo e de ser a mente, e isso é agora e aqui! 

É isso aí!

Um comentário:

  1. Muitos confundem a prática de meditação com o Ser a Real Meditação.. essa última só é possível aos pés do Mestre!

    ResponderExcluir

Deixe aqui o seu comentário

Compartilhe com outros corações