terça-feira, 26 de abril de 2016

Tudo o que você precisa é algo que já se encontra presente






Uma das coisas que eu tenho procurado mostrar a você é que tudo o que, de fato, você precisa é algo que já se encontra presente. O que quer que você faça nessa perseguição, nessa busca da Verdade ou da Realidade, o afasta ainda mais disso, porque você só procura fazer isso com base na crença de que algo está faltando.

Não se trata de fazer algo para a Realização, pois você não pode construir Isso. A Realização não é algo que se constrói. Você, não só, não pode fazer Isso, construir Isso, como também não pode adquirir Isso através de um longo período de estudos e aprimoramentos. A Realização é uma constatação daquilo que já está presente como sua Real Identidade, como sua Divina Natureza. Uma coisa muito clara é essa compreensão de que não é possível alcançar o que já se tem. Não se pode obter aquilo que já se tem. Você não pode alcançar aquilo que você já é! Você não pode realizar, no futuro, aquilo que já está neste presente instante.

Por isso que todo esse esforço de disciplina, práticas e essas tão famosas técnicas de meditação funcionam apenas como um afastamento ainda maior, porque a ideia central é a de que há "alguém" para obter alguma coisa, e a Realidade, ou Verdade, não pode ser obtida. Não há "alguém" para obter Isso! Uma coisa muito comum é a mente passar por alguma experiência e confundir essa experiência com uma realização - uma realização que ela pode segurar, sustentar, manter. E essa experiência, puramente mental, passa agora a ser uma propriedade dessa ilusão de alguém que vivenciou isso, experimentou isso, realizou isso, enquanto que a nossa ênfase aqui é o Estado Natural. Esse Estado Natural não pode ser alcançado após uma longa perseguição. Você está sempre nesse Estado. O seu Estado Natural é Meditação – o seu Estado Divino sempre presente. O seu Estado Natural é Deus!

Portanto, não é uma prática, não é algo que se obtém, é algo que se constata, é algo que se percebe presente. No entanto, esse perceber, esse constatar, não é uma experiência mental, não é algo que depois fará parte de uma memória. E  não têm sido assim essas chamadas experiências espirituais.

O meu convite a você é para esta ausência... esta ausência do sentido de alguém, esta presença desta única Realidade, que não se pode obter, não se pode realizar, não se pode alcançar, mas que é possível se constatar.

Assim, estamos diante de algo que é simplesmente maravilhoso, inexplicável, inominável. Estamos diante de nossa Natureza Real, de nossa Natureza Essencial. Estamos diante daquilo que somos! Este Silêncio é a Verdade. Este momento sempre é o momento desta constatação. Este momento sempre é o momento revelador.

Vamos ficar por aqui. Namastê!


*Transcrito a partir de uma fala de um encontro online na noite de 15 de Abril de 2016. 
Encontros online às segundas, quartas e sextas-feiras, às 22hs

Um comentário:

Deixe aqui o seu comentário

Compartilhe com outros corações