terça-feira, 23 de fevereiro de 2016

A pessoa é uma máscara, uma fraude, uma ilusão...




Essa é a ilusão: a ilusão da valorização das aparições, que são os sentimentos, as emoções, os pensamentos,  as sensações, e assim por diante. Isso faz de você uma pessoa.

A palavra pessoa é uma palavra derivada de “persona”, que os antigos gregos usavam para denominar a máscara dos atores nos teatros. Aquela máscara, os gregos chamavam de "persona". 

Sendo uma "persona", sendo uma pessoa, você nada mais é do que uma máscara, é uma fraude, não é real. Assim como não é real o personagem na peça teatral. Aliás, vou corrigir isso: o personagem é real na peça teatral; real como um personagem, mas não há nenhuma realidade para esse personagem fora dessa peça. Você não pode esquecer que essa peça é só uma peça imaginária, é algo criado, produzido, ali colocado e assim representado como sendo real. 

A sua vida é isso! Sua vida tem sido isso, tem sido assim, só porque o silêncio, a calma, a Consciência, a Presença de sua Real Natureza tem sido esquecida, tem sido desprezada. 

Aproximar-se de Satsang é se aproximar dessa Vida Real, fora dessa peça teatral que você chama de sua vida, na qual a ilusão está presente: a ilusão de se confundir com uma máscara.

*transcrito a partir de um trecho de um Satsang na cidade de Campos do Jordão no Ramanashram Gualberto em Dezembro de 2015

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui o seu comentário

Compartilhe com outros corações