quarta-feira, 16 de dezembro de 2015

Sem resistência não há ego




Mais uma vez, dentro deste encontro, estou falando para vocês o quanto Isso é simples, é natural - o quanto a Verdade é simples e natural. O que torna difícil tudo isso é a nossa resistência que a mente cria. Até nos livrarmos disso permanecemos dessa forma, nesta resistência, e é assim que você tem vivido.

Quando falamos da Verdade, falamos da Liberdade. A chama da Liberdade é algo presente, quando não há resistência à Vida, resistência ao que É. Essa resistência ao que É mantém você alienado da Liberdade, da Verdade. O ego, basicamente, é essa resistência, porque sem resistência não há ego. A Vida é inteligente quando não há resistência. A Vida inteligente é uma Vida sem resistência, que significa uma vida sem escolha - "Aquilo que É" se apresentando e sendo apreciado como sendo a Verdade. 

Essa não-resistência é a chama da Liberdade. Quando há Verdade, Liberdade, não há sofrimento, e ele só está presente quando não há verdade, quando a ilusão permanece sendo a base da resistência. Essa resistência é a mente egoica; a mente escolhendo, separando, dividindo, comparando, e usando sua lógica, seus argumentos e contra-argumentos. O interessante é que você faz isso o tempo todo, está sempre se defendendo e defesa é resistência. Você está sempre se protegendo, e protege-se na resistência. 

Observe quantas vezes você defende a si mesmo de não ser magoado, ferido, ofendido, rejeitado, abandonado. Você está sempre se protegendo para não correr o risco de ser um "ninguém". Você usa da autodefesa, da resistência, para manter-se como "alguém" e quando faz isso não há Liberdade. Quando há essa ilusão não há Verdade, e não é possível a Felicidade, a Paz, o Amor, a Realidade Divina presente. Essa é a situação de criar miséria, de manter a miséria, de manter-se contraído, na contração como uma entidade separada. Esse é o estado da mente egoica, da "pessoa"; o estado comum na ilusão do “eu”. 

Quando você chega aqui eu o convido a Isso, que é simples e natural: a não-resistência. Isso é estar diante da chama da Liberdade, da Felicidade, da Verdade, da realização de Deus; é estar diante da Sabedoria de ficar com o que É, de sair de cena, deixar essa ilusão de ser uma entidade separada e de ser um personagem neste grande "filme" chamado "vida", nesta grande tela chamada Consciência. Você, no ego, está preocupado em ser a figura central, o personagem central deste filme... a figura central e personagem central da existência, mas a existência não corresponde às suas expectativas egoicas.
 
Assim, essa resistência mantém você afastado desta Liberdade de Ser sem ego, sem a ilusão de ser "alguém". Você se sente como um "alguém", como uma entidade isolada, separada, como uma figura, um personagem importante dentro desse "filme" da existência, nesta tela da Consciência. Quando não há resistência, quando essa ilusão do “eu” termina na chama da Liberdade, tudo o que está presente é aquilo que sempre esteve aí: a Consciência, na qual toda a existência, como um filme, aparece. Portanto, esse organismo, o corpo-mente, é, também, apenas uma aparição desta existência; não é a presença de um personagem, é só a história de mais um organismo, de mais uma aparição na existência, mais uma destas aparições dentro do "filme". Quando não há resistência, você permanece como pura Consciência, como absoluta e Real Consciência, além das aparências, das aparições... além de toda a existência e de todo esse "filme". 

Como não há mais resistência, não há mais lutas, conflito, sofrimento, e também a ideia do “quero” ou “não quero”, “gosto” ou “não gosto”, “aceito sim” ou “rejeito, não quero”. Nada disso, agora, assume uma importância significativa, real, pois sem resistência a Liberdade está presente - esta liberdade, que é a suprema inteligência de ver o que É, de ficar com o que É.

Esta suprema inteligência é a Felicidade, que é Liberdade. Nessa inteligência não há necessidade de escolha, pois antes esta escolha nascia da confusão, da resistência, da tentativa de acertar por medo de errar, mas agora isto não está mais presente. Quando há Real Inteligência não há escolha, e tudo é agora uma grande brincadeira divina. Não há mais esse peso da seriedade, de acertar e do medo de errar. Nesta não-resistência há o fim do medo.

Compreenderam isso? Então, vamos ficar por aqui esta noite. Até o próximo encontro! Namastê!

*Fala transcrita de um encontro online via Paltalk na noite de 31 de Agosto de 2015

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui o seu comentário

Compartilhe com outros corações