quinta-feira, 8 de outubro de 2015

Eu sei quem você é




Essa Consciência é aquilo presente em tudo, e que torna tudo presente! Essa Consciência é Amor,  Bem-aventurança, Paz e Verdade, a Verdade sobre si mesmo!

A Verdade é algo inaudito... inaudito e inalcançável! Quando Isso está presente, “você” não está: você e suas crenças, conclusões, ideias, opiniões; você e suas certezas, dúvidas; você e sua ética, moral; você e suas coisas... Quando a Verdade está, “você” não está!

É fácil se entreter com simulacros, com  imitações. É somente mais uma distração, ainda, do intelecto, que é o ego. Esses estudos que você citou agora, essas práticas, passar anos e anos e anos lendo as falas de acordados, tudo isso é inofensivo para o ego. Isso não vai atingir, como uma flecha, o seu coração e acabar com essa ilusão de “alguém vivo”. Somente quando esse “alguém vivo” está "morto", a Verdade está presente!

Assentar-se aqui já é uma Graça Divina! Não tem outra palavra! Ter a oportunidade de estar assentado aqui, hoje, é uma Graça Divina!

A mente "dá" nome aos dias, e assim hoje é domingo, ontem foi sábado, e amanhã será segunda... Além disso, a mente se localiza no tempo, "dizendo": domingo é dia de praia, ou de estar com a família, e não de Satsang; ou, sábado é dia de festa e não de Satsang. Eu estou dizendo para você: os dias não têm nome. Você só tem um dia de cada vez, para levantar-se de manhã, olhar o céu e dizer: hoje é o dia da Verdade, da Liberdade, da Felicidade! É o dia de Deus! É o dia desse “Eu Sou o que Sou”! É o dia da Sabedoria! É um dia para ser "O que Sou"! É um dia de "não mentira", de "não ilusão", de "não conflito", de "não medo"! É um dia de Bem-aventurança! Um dia de Consciência!

Não é um dia de política, de praia, de futebol, de mudanças sociais. Não é um dia para lembrarmos a independência do Brasil, ou... É um dia desse “Eu Sou o que Sou”, um dia sem estupidez, mediocridade, arrogância, humildade, modéstia... "Um dia sem o mim"!!!

A Existência não vai sentir falta nenhuma de você. O universo não vai ter nenhuma ideia de que você existiu em algum momento! Você não vai fazer falta nenhuma, não vai ser nenhuma tragédia! Um dia sem esse "mim" é um dia sem ser avó, mãe; sem ser pai, filho, neto; é um dia sem medo!

"Um dia sem o mim" não tem vinte e quatro horas, porque "um dia sem o mim" não é um dia. Não há tempo, nascimento, assim como, também, não há morte nesse “um dia sem o mim”!

Quantos estão dispostos a Isso? Posso dizer para vocês: muito poucos! Todos querem viver um dia, sendo "alguém" para alguns ou para muitos... Querem viver muitos dias, anos, assim! Onde está aquele que está disposto a morrer nesse momento? Porque é somente quando você morre, nesse momento, momento a momento, que os dias são assim: sem tempo!

Por isso que, quando você chega perto de mim, querendo ser "alguém", Eu não reconheço a sua importância, mas isto basta! Você não se sente importante diante de mim, mas sente que Eu estou vendo você! Percebe que não é dos outros que você precisa? Você só precisa se ver em Sua Real Natureza! Não é da imagem que você faz de si mesmo de que você precisa! Repito: você só precisa se ver em sua Real Natureza. Essa imagem que você tem de você mesmo é que lhe dá autoimportância, esta que é a ilusão de necessitar dos outros, ser aceito e compreendido por eles, que sentem o mesmo em relação a você: querem ser aceitos, amados, compreendidos... E nada disso é real! Você não é real e eles não são reais.

A coisa curiosa aqui é que você sente que eu estou vendo você, mas não é bem assim, porque Você não é algo separado do que Eu Sou. Quando você me olha, me vê, enxerga "O que Eu Sou", você vê o que Você É, e não tem autoimportância! Quando você vê "O que Eu Sou", que é "O que Você É", não fica aí essa autoimportância! É somente quando você está no ponto cego que acredita estar vendo alguma coisa, entendendo, sabendo, com certeza de alguma coisa, e, aí, você acha que pode me enganar. Nesse ponto cego, você está se autoenganando, porque não está ciente de si mesmo, daquilo que Você É, da Verdade sobre Você.

O valor desses encontros está exatamente nisto: você não pode me enganar, porque eu sei quem Você É! Isso chama-se Satsang: o encontro com a Verdade! 

*Trecho de uma fala de um encontro na cidade de Fortaleza em Agosto de 2015 

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui o seu comentário

Compartilhe com outros corações