quarta-feira, 28 de outubro de 2015

Este é o único lugar e nada mais importa!





Quando não há desejo, o que é que está faltando? Quando não há pensamento, o que é que está fora do lugar? Quando não há escolha, o que é melhor?

Quando não há padrão, o que é certo e errado? Quando não há crença, o que pode ser imaginado? Quando não há história pessoal, quem está aí sofrendo ou tendo algum problema? 

Quando você não é importante, o que é que na sua vida é importante? O que é que, para você, tem real importância, quando você não tem nenhuma? O que é que pode fazê-lo sofrer, se você não se importa com nada? 

Se você vive sem expectativas, como é que pode se frustrar? Qual o problema de ter planos, se você não é dogmático quanto a isso? Se você não quer mudar nada, o que é que ainda está vendo fora do lugar? 

Se você não se compara, quem é mais feliz que você, ou quem tem mais que você, ou quem é mais importante? Se você não se compara, com o que se preocupa? O que é que o aflige, se você não tem pensamentos sobre isso? O que lhe provoca medo, se você não se preocupa com o passado, nem tem expectativa nenhuma quanto ao futuro?

Eu tenho pequenos planos, mas eles não podem me frustrar, porque Eu não sou esses planos; Eu estou acima deles, e não os levo a sério.

Aquilo com o que eu me importo me aprisiona.

Eu não sei se a gente pode chamar de plano “B” não ter nenhum plano. Agora mesmo, o plano “A” era trazer a árvore no avião. (Pé enxertado de Jabuticaba que fora trazido de Recife para nosso Ashram em Campos do Jordão). Porém, já havia o plano “B”, que era deixar a árvore lá, se a companhia não deixasse. Mas eu não sei se isso é o plano “B”, ou se isso é não dar importância ao plano “A”. Quando você não dá importância, você não se frustra.

Você quer ser amado e aceito: isso é o plano “A”. Não ter planos é o plano “B”: não precisar ser amado e não precisar ser aceito, para ser o que Você É.

Não são as pessoas, as situações e a vida que nos fazem sofrer; é o nosso pensamento, a nossa mentira e ideia sobre isso. E você só sofre porque tem fixações, é dogmático e tem certeza das coisas. Você faz ideias sobre pessoas, o que elas podem lhe oferecer, aquilo que podem lhe dar; faz ideias sobre a vida, e tem expectativas sobre o que a vida pode lhe dar. Vocês aguardam das situações sempre o melhor, algo que possa valorizar esse sentido de "ser alguém" - o alguém que você acredita ser.

Por que vocês amam vir e estar perto de mim? Eu vou dizer: é porque Eu sou transparente, não resisto a vocês... Eu não crio resistência. Quando vocês me encontram, não encontram alguém com quem lutar, disputar, duelar. Façam o mesmo! É o ego que ama resistência e conflito; que ama duelar e discutir. Como a sua disposição é a disposição da entrega do ego, você ama estar comigo. Isto porque você já percebeu, aí dentro de você, a estupidez que é resistir à vida, resistir ao que É! Então, você ama vir a mim. Quando está perto de mim, você percebe que é possível viver sem "ser alguém". E "viver sem 'ser alguém" significa viver sem resistência, sem luta, sem duelo, sem conflito... Viver em Paz, em Silêncio, Verdade e Amor.

Eu lhe dou espaço! Eu lhe acolho neste espaço desse “Eu Sou, que você É”. Assim, não há resistência, luta, duelo, e nem conflito. Então, você viaja, vem de longe, para me ver, porque quando me encontra, você se encontra na não resistência, no não conflito, no não duelo... Você em seu Estado Real, em seu Estado de Ser, em seu Estado Natural, transparente!

A luz entra e atravessa, porque você é transparente. A luz chega, entra e atravessa porque não há resistência; não há uma coisa opaca e fechada que retém a luz, que prende e cria uma barreira! Não, não é assim! A luz chega e atravessa, porque você é transparente. O ego é opaco, portanto tudo o que bate não atravessa, bate e volta. Mas você olha para um objeto transparente, e quase não vê o objeto, tal é o poder de transparência; a luz não prende, não bate, não reflete. Você é como um cristal transparente, em seu Ser! A Presença Divina, a Presença de Deus não resiste, não conflita, não luta, não duela! Ela é pura Graça, Liberdade e Verdade... É o Amor, a Paz de sua Natureza Real, não opacidade, transparência da Presença e da não resistência.

Quando você vem, e se assenta aqui, sente que está diante da não resistência. Não estou aqui para discutir ideias, opiniões ou crenças com você. Eu não vou disputar com você. Eu não sei mais que você! Eu não posso mais que você! Eu não tenho mais que você! Eu não sou maior que você! Eu sou só transparência! Você não pode me ofender, porque eu não vou resistir, pois não há resistência. Eu sou transparência, e sua ofensa vai atravessar por mim. Você também não pode me magoar, pois isso, também, vai atravessar por mim, porque Eu sou a transparência, e isso não vai me atingir. Se eu sou a transparência, nada irá me magoar, me ofender, me entristecer, me deprimir, me angustiar! Eu estou falando de você, não estou falando de mim! Estou falando desse “Eu Sou”, que você É; da Consciência, da Presença, que você É, quando o ego, a mente e a ideia de “ser alguém” não estão.  

Dá para viver sem isso, ou você tem que “ser alguém” sempre, o tempo todo? Ficar sempre discutindo, impondo crenças, opiniões, julgamentos, ideias, desejos, nas relações comuns de namorado, de família, de marido, com filhos e mulher. No dia a dia, dá para viver sem saber mais que o outro, sem poder mais e ter mais certeza que o outro? Será que dá ou não dá? Porque, se você vive assim, você sofre; se vive assim, você não é uma luz de Presença, não é transparente, e, então, tudo que bate fica, reflete em pura resistência.

Eu tenho para mim que a expressão Iluminado vem daí: aquele que expressa a Luz, que é transparente. Você olha e só vê luz porque é transparente. Transparência é Verdade, e não adultera, ou altera, nada; tudo é visto como É: transparência. Não é o que eu digo, é esse “Eu Sou", que você É, transparência que traz você até mim, que lhe dá alegria de estar comigo.

Na primeira vez em que me encontra, você já fica à vontade comigo, por quê? Não é bom me ouvir, olhar para mim? Eu não sou amigo?

A Presença desse “Eu Sou", que você É, Daquilo que você É nesse “Eu Sou que Sou”, é Transparência, é Silêncio, é Verdade, é Paz, é Graça, é Deus, é Amor, é Sabedoria, é Verdade... Tudo o mais, aí fora, é mediocridade, é estupidez, é hipocrisia, é “mais do mesmo”. Tudo aí fora desse “Eu Sou", que você É, é o ego e seu mundo, a mente e seu mundo, que é uma fraude, uma ilusão, e isto porque a mente e seu mundo não podem ser reais. A mente e seu mundo são como uma miragem no deserto: parece estar lá, mas não está; parece que pode ser encontrada água, mas não tem nada lá, a não ser uma ilusão...

Por que você vem aqui? Por que você vem a Satsang? Porque não existe outro lugar! Você não se importa de viajar 300, 400, 600 ou 800 quilômetros – ou até mais, muito mais – para estar em Satsang, porque, na verdade, você não saiu do lugar. Em Satsang, você percebe que este é o Único lugar, e nada mais importa.

*Trecho de uma fala de um encontro na cidade do Rio de Janeiro em Setembro de 2015

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui o seu comentário

Compartilhe com outros corações