terça-feira, 4 de agosto de 2015

Teorias, um alimento para a mente!




Todas essas nossas falas, aqui, estão apontando para o experimentar direto. Todas elas falam do experimentar, todas elas têm a base comum da experimentação.

Para nós, aqui, não tem nenhum valor a teorização. A teorização é isso: falarmos aquilo que é meramente teórico, não experimental, não vivencial.

Se tem algo que não traz, realmente, algo verdadeiro são essas teorizações. A gente não pode viver de teorias; nós não conseguimos viver de teorias, mas já estamos cheios de teorias, e tudo o que nós sabemos fazer é acumular mais teorias. No fundo, há uma ilusão mental oculta nisto.

Há a ilusão de que essa teoria, essa teorização, um dia será vivência, será prática, será existencial, e os anos vão passando e isso nunca acontece.

Então nós temos que descobrir esse truque da mente, que é o de viver de teorias, de amá-las e de se prender a elas. Isso é algo bastante comum.

Enquanto nós não entendermos isso, os livros, os conceitos e as ideias serão importantes, e nós vamos continuar acumulando, acumulando, acumulando e acumulando. Compreendeu?

É assim que acontecerá, mas isso não resolve, não resolverá, e o sentido de insatisfação se manterá, sempre; é como aquela sede que não passa nunca, e há o engano de que ela está sendo saciada. Não é assim?

Ela está sendo "saciada" por informações de terceiros, por experiências alheias, que são os conhecimentos facilmente adquiridos por nós, intelectualmente.

É assim que temos vivido. É isso aí... É exatamente isso.


*Trecho de uma fala de um encontro presencial na baixada fluminense - RJ -  ocorrida em Abril de 2013

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui o seu comentário

Compartilhe com outros corações