terça-feira, 7 de julho de 2015

Não dê importância aos pensamentos



Existe algo a ser observado aqui. Às vezes, nós nos sentimos incomodados com alguns pensamentos que passam, mas precisamos notar o seguinte: pensamentos apenas passam, circulam. Você não consegue deter um pensamento. Experimente isso! É interessante também colocarmos assim, porque geralmente um pensamento nos perturba e queremos nos ver livres dele, mas, na verdade, também não conseguimos deter um pensamento. Experimente deter, prender um pensamento. É como tentar se livrar dele. O pensamento dentro de cada um de nós tem uma autonomia, uma franquia, uma liberdade. Ele tem uma liberdade de ação, uma liberdade para acontecer. A maneira direta de lidarmos com os pensamentos é não nos importarmos com eles. O que dá energia a determinado tipo de pensamento que nos aflige é essa atenção que damos a ele. Eu não disse atenção no sentido de observar a sua presença, mas uma atenção relacionada a essa coisa de nos ligarmos àquilo que está ali acontecendo, a esse pensamento. Isso dá energia a ele.

A depressão, a ansiedade, o medo, o ressentimento, a mágoa - qualquer um desses sentimentos ou forma de emoção ligada a determinado pensamento - são alimentados quando esses pensamentos são alimentados. Então, a primeira coisa aqui é compreender isso: não dê importância aos pensamentos. Permita que eles sejam apenas o que eles são: pensamentos circulando. Eles têm a franquia, têm a liberdade, a garantia de uma determinada linha de ação, de um procedimento, de uma forma de acontecer. Então, você simplesmente relaxa. E quando eu digo "relaxa", estou dizendo que você é tão profundo, tão amplo, que tem uma dimensão tão extraordinária - algo que nem pode ser dimensionado - que todos os pensamentos, emoções, sentimentos, e o que quer que surja, aparecem aí, NISTO que é Você. E isso não pode perturbá-Lo, porque Você é essa amplitude, essa “dimensão não dimensionada”.

O que eu estou colocando aqui é o que nós temos de mais objetivo, prático e real nessa coisa de lidar com os pensamentos, porque tudo isso aparece NAQUILO que Você É. Você é Isso! Você é esse espaço! É como se você olhasse para o céu, o visse cheio de estrelas, e o seu olhar ficasse preso a elas, mas sem perceber que as estrelas estão aparecendo em um fundo, nesse espaço infinito. Seu olhar fica preso às estrelas e perde esse espaço infinito, no qual as estrelas estão. É assim que acontece conosco nessa coisa de lidar com os pensamentos, porque nós nos confundimos com eles, e o nosso olhar fica direto nessas estrelas. Você é esse espaço no qual os pensamentos acontecem. Se a sua atenção, seu foco, sua visão está nas estrelas, você perde o espaço. Descansar em seu Estado Natural é se reconhecer como esse “espaço”, no qual os pensamentos, os sentimentos e as emoções, como as estrelas, podem acontecer. Você é essa Presença, essa Consciência Ilimitada, você é esse estado de Ser, no qual tudo aparece. Tudo mesmo. 


*Trecho de um encontro ocorrido em Piabetá - Baixada Fluminense - Rio de Janeiro no mês de Março  de 2012


6 comentários:

  1. Como não fugir e ao mesmo tempo não alimentar?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você já está descobrindo como José, em Satsang Presencial! <3

      Excluir
    2. Pela mente fica difícil ajustar essa fala..

      Excluir
  2. Respostas
    1. A atenção que surge identificada com o corpo é a raiz da ideia do pensamento-eu, e surge a partir deste movimento inconsciente, mecânico, não observado, causando a impressão e o sentido de separatividade. Sendo assim, não se trata de quem, se trata do quê, e em se tratando do quê; estamos nos referindo a este organismo corpo-mente, dotado de uma pseudo personalidade autônoma que parece existir a partir da expressão de pensamentos, ideias e imagens, cuja fonte é a inconsciência e a ignorância.

      Excluir
  3. Gratidão pelo simples, direto e profundo texto!

    ResponderExcluir

Deixe aqui o seu comentário

Compartilhe com outros corações