terça-feira, 19 de maio de 2015

Estou, aqui, indo na raiz!


Isso requer, naturalmente, essa atenção sem escolha, e esse é o ponto: a ideia de uma identidade na escolha é todo o seu atropelo. Não se importe com o que vem e vai. Não escolha! Se você não escolhe, não dá identidade ao que aparece. O que aparece, desaparece, é mutável. Saber que isso aparece NAQUILO que não muda, que é Você, é abraçar incondicionalmente o que quer que surja nesse cenário; é não se importar com isso; é não dar importância a isso; é não se tornar importante nisso; é não se separar disso. 

Percebem o que estou dizendo? Estou, aqui, indo na raiz. Estou dizendo que você "energiza" - com o sentido de uma identidade - uma sensação, uma emoção, um pensamento, separando-se disso, e tornando-se uma entidade à parte daquilo que vem e vai. Você é essa Liberdade sem escolha, pura Liberdade, pura Consciência, pura Presença, não separada de qualquer experiência nesse presente momento.

Sendo assim, não há nada fora do lugar, e nada pode ser mais do que aquilo que é. E onde você entra nisso? Mais uma vez, repito, aqui está o ponto: você não entra! Aquele que testemunha e aquilo que é testemunhado aparecem NISSO que é imutável! Chame Isso de Pura Presença, Ser, Consciência, Real Natureza, Verdade, Deus, Silêncio, Meditação... 

Esse som da voz, ou o som lá fora, é algo acontecendo aí, assim como um pensamento, que pode chegar agora e ir embora, ou qualquer outra percepção sensorial, como a visão (você está de olhos abertos, com cores e diferentes formas sendo percebidas NISSO que não muda). As cores mudam na percepção visual,  a percepção auditiva muda, o pensamento muda, e uma sensação física, como calor ou frio, ou mesmo uma certa dor, também muda; mas tudo está acontecendo NISSO que não muda. 

Você é esse Silêncio, é essa Presença, essa Imutável Realidade, com ou sem sensações físicas, percepções sensoriais, sentimentos, pensamentos, emoções. Você sempre permanece Nisso, sendo Isso que percebe e que é percebido. Somente na fala há diferença, porém, na verdade, não há diferença alguma. Na fala há essas palavras sendo usadas: pensamento, sentimentos, sensações, percepções, e assim por diante, mas somente Isso, que é esse Silêncio, essa Presença, está acontecendo, deixando de acontecer e permanecendo imutável. É isso!


*Extraído de um encontro presencial ocorrido em Maio de 2013


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui o seu comentário

Compartilhe com outros corações