quinta-feira, 2 de abril de 2015

Bobos na Corte da Alegria - Paltalk Satsang



Deixem isto de lado, abandonem tudo isto ou ficarão seguros à beira do precipício, sem desaparecer ali. A coisa toda está na "morte" e não na vida. "Morrer" é a coisa mais deleitável e inacreditável de todas.

Viver na morte é saborear o desconhecido. Não é possível "morrer", aqui, novamente, uma vez que você não está mais aí para viver a ilusão de crenças e conceitos aprendidos. Se permanecerem ligados à mente, e suas sugestões, ficarão surdos ao som dos pássaros que cantam na alegria dessa morte.

Tudo é uma grande bobagem, dita ou escrita. Sendo assim, vamos escrevendo essas bobagens hoje por aqui. Sabem o que interessa mesmo? É serem os bobos na "corte da morte". Tudo o que podemos levar é somente a alegria, e por quê? Porque é a nossa Real e Verdadeira Natureza.

Se você já é Isso, porque se envolver com qualquer outra coisa? Para realizar o que? O que pode ser realizado? Sempre fomos ensinados a ver valores ali, fora, mas é Aqui que está a coisa toda. Nosso olhar para o lado de fora nos fez ser sérios, em busca de respostas para a vida, e isso é uma grande piada. Não há nada sério em nenhuma parte.

Causa e efeito, por exemplo, são invenções da mente para explicar a grande festa que acontece nesta única Consciência, onde não há tal separação entre isso e aquilo, entre ação e reação, e nem razão para tudo ser como é. Tudo é perfeito, ou completo, como é, sem causa ou razão para ser assim. Olhe para vida "sem a cabeça" e você não poderá ver qualquer motivo na coisa sem sentido que é viver.

Sempre preso e vítima das ideias, você se mantém na procura de um sentido razoável, ou seja, algo que possa satisfazer esse intelecto faminto por explicações, o que é uma coisa bastante estúpida e considerada muito sábia. Viver é desfrutar sem explicar, sem pensar a respeito, e é isso que chamo de "adorável segredo da morte"; é sermos esses bobos na corte da alegria da existência!

Não me importo mais com lógicas ou explicações, tudo que sinto é que não há nada real no que a mente pode desvendar. Ela é, por natureza, limitada e incapaz de ver o simples sorriso de uma rosa que se abriu e que sorri de tudo isso que achamos tão real. O que vamos fazer? Nada, nada mesmo. Apenas fique aí sem procurar, sem buscar, sem sair para esses rodeios que a mente dá.

Participante: Tomar sorvete.

Mestre Guaberto: Tomar sorvete, também, faz parte da alegria de crianças que não esperam nada. Tudo é somente alegria. Sempre é assim para crianças que só vivem em meio a crianças, onde tudo é simplesmente natural e sem afetação. Tudo o que vocês vieram fazer aqui é tomar sorvete, mesmo.

Estamos em uma grande festa sagrada, onde, neste sonho, a alegria é a base de toda a ação e de tudo o que a Graça manifesta como expressão de seu coração. Aqui é um espaço de loucos. Não tem nada sério e de extrema gravidade aqui. Hoje, como sempre, isto tem sido assim, já há alguns anos. Amar, para mim, é sorrir... sorrir de tudo, para tudo e para todos. Tudo é o que é e isso é Deus fazendo Graça.

Peço desculpas? Por isso? A quem pediria? Só vejo Deus em toda parte. Algumas vezes Ele vem como amigo, outras, como inimigo, outras como sábios e outras como tolos. Ele pode ser qualquer coisa e Isso me faz rir o dia todo.

Tudo é celebração, é festa, é amor, é silêncio, é morte, é vida. Hoje é assim, amanhã é assado e depois de amanhã é cozido. E tudo é tão delicioso. Tudo é simplesmente louco.

Escutem isso crianças: deixem tudo de lado, mas deixem mesmo... Sejam o nada, voltem para a ignorância, relaxem no "não saber" e no "não procurar saber"; desaprendam, de verdade, e depois me contem como é a coisa agora. Alguns de vocês acham que precisam de ensinos (gargalhadas), e até vem aqui achando que tenho isso. Sou o camarada mais sem conhecimentos que vocês poderiam conhecer. Tudo o que me interessa é Deus, que não pode ser aprendido. Então, seu coração entra nesta frequência da beleza da Liberdade que não tem qualquer razão ou motivo para estar ali. Portanto, você é Deus -Um com Ele... Sente amor, alegria e paz, como Ele... Ele e você são um só. 

Não coloque isso dentro dos moldes da Advaita ou de qualquer filosofia que você já leu. Isto não está nos livros, isto está aí... aí. Só há Ele... Só há Ele... Só há Ele. É isso que eu posso dizer para vocês em minha feliz loucura... inexplicável loucura. Tenho passado os meus dias assim...

"O que podemos fazer? ou "o que é Isso?, alguns me perguntam, e  eu não sei o que dizer para eles. Eles querem chegar NISSO do modo mais complicado. Eu falo, mas eles não querem ouvir. Digo que desistam de colecionar coisas, de se empanturrarem de leituras desnecessárias... Que venham ao Satsang e, aí, fiquem perto... Digo "deixe-me olhar para você e você para mim".(risos). Entretanto, eles acham isso algo sem sentido, algo estúpido, ou sei lá o que acham.

Quero apenas poupar o tempo deles, pois já sofreram muito, sendo sérios buscadores. Agora quero, apenas, ficar perto deles e sentir o coração deles junto ao meu. Foi isso que o meu Guru me mostrou. Não sou nada.... Nem quero ser nada mais, se estão vindo até mim... Vamos brincar certinho... Se não confiam nisso, isso é com eles; mas, se confiam, isto já está acontecendo. Repito para vocês: a "morte" é a Coisa toda e essa coisa de morrer é simples, embora para a mente nada disso é tão fácil.

É isso aí turma. 



Texto transcrito de uma fala via Paltalk na noite de 03 de setembro de 2012.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui o seu comentário

Compartilhe com outros corações