sexta-feira, 13 de março de 2015

Você não existe sem o pensamento - Satsang





Sem a noção que o pensamento dá àquilo que acontece, sem o pensamento sobre isso, quem é você para ter problemas? Tudo, exatamente tudo, está no lugar, sem o pensamento sobre isso. O pensamento sobre isso coloca aquilo fora do lugar. Quando você aparece, só podem aparecer problemas, que surgem porque o pensamento sobre aquilo, acontecendo no momento, está aparecendo. O que eu estou dizendo é: onde você aparece, se o pensamento não aparece? Onde? Hein?

Acompanharam isso que foi colocado? Você não existe sem o pensamento. O pensamento dá existência a essa "pessoa", aí, com problemas. A imagem do que "deve ser", ou "não deve ser", toda ela, está baseada no pensamento. É o pensamento que dá existência a esse "eu", a esse "mim",  que vive escolhendo, determinando e  ajustando as coisas; e  isso é conflito com o que é, com o que se apresenta, com a vida em sua expressão e como ela acontece. Alguma pergunta sobre isso?

Sem a certeza que o pensamento traz, que horas são agora? Sem a certeza que o pensamento traz, você é um menino ou uma menina? Você é casado ou é solteiro? Eu não sei seu nome, mas você também não sabe seu nome, sem a certeza que o pensamento dá. A vida é uma ilusão, quando está baseada no pensamento; ela é cheia de objetivos, certezas, padrões e direções que o pensamento dá - essa é a "vida da ilusão", porque "você" está nela. A vida do conhecimento e do pensamento é a "vida da ilusão". O que você quer mudar na sua vida? Quem aqui quer mudar alguma coisa na sua vida? Você quer mudar alguma coisa na sua vida? Sim?

Participante: Sim!

Mestre Gualberto: Baseado em que?

Participante: Pensamentos, sentimentos... Imaginando que poderia ser melhor, de um jeito diferente.

Mestre Gualberto: E isso produz o sentimento... Em alguns momentos o sentimento vem antes do pensamento, mas na verdade esse sentimento já tem um pensamento embutido, com uma história anterior. Eu estou perguntando para você o que é que precisa mudar na sua vida para você estar em paz, para você ser feliz, para você estar completo, do que precisa? O que você quer da sua vida? É isso que eu estou perguntando. Tá faltando alguma coisa na sua vida? Percebem isso? Que não tem nada faltando?

Participante: Na sua presença, nunca falta nada, Mestre... mas, quando a gente está longe, a mente vem querendo várias coisas...

Mestre Gualberto: Então, por que você não fica na minha Presença? Por que você quer algo fora da minha Presença? O pensamento produz isso. Então, não produza nada, permaneça no que você É: Consciência; assim você vai estar sempre na minha Presença. Nada está faltando, nesse presente instante, a Isso que você É. Tudo jamais vai preencher em algum momento – não é agora, estou falando em momento algum – aquilo que você acredita ser; você jamais estará preenchido no pensamento. Vocês perguntam o que é Iluminação: é permanecer com o que É. Nesse sentido, todos vocês são iluminados, estão acordados, porque você não pode escapar disso que É.

O pensamento, aí, fantasia algo diferente, e, então,  você se vê em apuros, porque  se identifica com aquilo que o pensamento conta para você, dizendo que tem um momento melhor que esse; algo melhor do que isso, que está acontecendo agora; algo a ser alcançado e realizado; algo errado na sua vida ou que está faltando alguma coisa. Enfim, "você" não tem o emprego ideal, o casamento ideal, a família ideal, o corpo ideal, a cultura ideal... não tem, e não tem, e não tem... nunca tem e nunca vai ter - na mente, não! Está claro isso?

Quem você pode ser, que você já não é? Percebem? O que você pode ter que você já não tem? Tudo isso é ideologia, pensamento, que afasta você do seu Estado Natural. Durante o dia, você faz isso milhares de vezes. A cada minuto, lá está você, em alguma outra direção, distante desse ponto, onde nada falta; onde não tem um outro alguém para você ser; onde não tem outra coisa para você alcançar; onde não tem algo para preencher você. E, durante o dia, você faz isso milhares de vezes. É o que os Acordados chamam de "estar no sono". 

Eles não estão Acordados porque estão fazendo algo diferente de você. Eles estão acordados porque não andam fazendo nada do que você anda fazendo. Você está produzindo miséria para a "pessoa", essa que imagina, cria e idealiza ser ou deixar de ser. Enquanto Eles não estão produzindo nada, estão quietos. Não há Neles qualquer interesse nisso, que é  viver no pensamento e na procura de sensação, que você chamou de sentimento. Essa procura de sensação, que é a procura de sentimento, é somente para fortalecer a realização do pensamento, nessa fantasia de ter algo, conseguir algo ou desistir de algo, de livrar-se de algo. 

A Vida está toda no agora! A Vida, não a vida do pensamento... Estou falando da Vida, que está  toda no  agora! Deus, Consciência, Presença, já é tudo o que você precisa ser. Numa linguagem religiosa, Deus já lhe deu tudo aquilo de que precisa, se você não colocar o pensamento. Não importa se você é menino ou menina,  pobre ou rico, alto ou baixo, porque tudo isso não é o que Você É. Tudo isso é um pensamento sobre o que você é. Solte esse pensamento, se desconecte dele e veja que você está pronto. Veja que Deus não negou nada a você. Sua Natureza Real é Sat-chit-ananda. 

Você encontra um sábio numa gruta, como Ramana, que esteve por 14 anos lá na gruta, e Ele não tinha forno de micro ondas, internet, TV a cabo... Ele está numa gruta e está supremamente feliz! Ele é um rei! Ele tem tudo o que precisa, vivendo em uma gruta! E olhe para você! Você está cercado de todo o conforto, de toda a comodidade da vida moderna, de tudo o que a ciência produziu, produz, tudo o que a tecnologia produziu, produz... Todo tipo de prazer, diversão, entretenimento... Você assiste a vídeos, vai ao cinema... Você tem tudo! Uma mulher bonita do lado, um homem bonito do lado... Você tem tudo o que o pensamento buscou, mas não está feliz... Está faltando alguma coisa... Qual a diferença? Acabei de colocar para você.

Você pode viver a vida do pensamento, ou você pode viver a Vida. Viver a Vida é só a Vida, onde esse "você" não aparece para pedir nada além do que a Vida, em sua Graça, Generosidade e Presença, traz. Então, felicidade não tem nada a ver com a ideia, com o sonho, com a realização ou com o pensamento sobre ser feliz, sobre realizar Isso. Felicidade é a Natureza do Ser, é a Natureza da Consciência, é a Natureza do seu coração. Não importa o lugar, a condição, a circunstância... nada importa para isso que você É. E para isso que você acredita que é, também, nada importa, porque você nunca está feliz, nunca está preenchido, nunca está satisfeito; você nunca se preenche. 

Você vive assim: consegue algo, fica cansado e vai buscar outra coisa... e fica cansado e vai buscar outra coisa... e fica cansado e vai buscar mais outra coisa... O pobre quer ser rico, o rico quer ser milionário, o milionário quer ser multimilionário... Ambição é a natureza do ego,  a natureza da mente, assim como a insatisfação. O ego aqui é o que eu chamei de "a vida na mente". Você enjoa, rápido, tudo o que a mente lhe dá. Você está numa relação e logo está enjoado, pronto para uma próxima... e vai enjoar novamente, pronto para uma próxima... Você nunca acaba com essa historia, você nunca vive e morre, sempre vive e sobrevive, e depois sobrevive, e depois sobrevive... Estou dizendo: viva e morra! Viva só uma vez e morra! Que seja seu último relacionamento! Que seja seu último desejo! Que seja seu último objetivo! Quer ganhar uma bicicleta, ok! Mas nunca mais tenha desejo nenhum! Que seja seu último desejo: ganhar uma bicicleta! Saia da vida da mente, saia da vida mental. 

É um frenesi incrível, é uma ambição, uma ganância, uma procura constante. Quem não tem filho, quer ter filho, e depois que tem um, quer ter mais um, e mais um, e mais um... Quem não tem marido, quer ter marido, aí tem um... depois cansa, porque todo marido cansa, e vai querer outro... depois vai cansar e querer outro... Então, não termina nunca! Que seja seu último desejo! Realize seu Estado Natural, vá além da mente, vá além da vida na mente! Assim você fica presente nesse instante, fora do tempo, sem problemas, sem dificuldades, sem contrariedades; você fica com o que aparece. As vezes é bom, às vezes não é tão bom e às vezes é ruim. Mas, quem se importa, se você está cônscio de que este é movimento da Vida e que você não é?! A vida É e você não é! Então, você está em Paz! Você está em Paz porque não está buscando nada... não está procurando nada! 

Iluminação não é algo a ser alcançado, é só terminar com os obstáculos, estes que a ilusão, nesse sentido de ser "alguém", tem produzido. Você não vai realizar Deus, você É Deus! Você não vai acordar,  você não está dormindo! A mente não vai acordar! Então, "tire seu cavalinho da chuva", pois não há como você realizar Isso! É só mais uma ambição da mente, é só mais um movimento da mente, é mais um obstáculo, não ficar quieto, não parar.

Eu vejo chance em Satsang... ainda tem chance em Satsang. É... Aqui é possível que você pare; eu disse é possível, não estou dizendo que você vai parar. Você está em movimento, descendo uma ladeira sem freio, porém é possível que alguma coisa aconteça e pare você, porque você mesmo não vai parar, não... Você está descendo sem freio. Satsang é algo que entra para dar um solavanco aí e ver se essa estrutura ainda aguenta e para, porque a condição da descida, nessa ladeira, é muito deplorável. A descida é uma ilusão, a ladeira é uma ilusão e você também, entretanto, a confiança que você dá a isso é muito grande. Aí, eu venho aqui e digo para você: vamos ouvir, prestem atenção!

Eu reparo o medo nas palavras, o medo quando vocês escrevem para mim. O medo está por trás dessas palavras, quando vocês escrevem para mim. A vida da mente teme morrer. A vida da mente teme a morte, tem muito medo da morte! Eu vejo vocês idealizando uma realização, que é algo fora da mente, na própria mente. E é claro que quando a mente idealiza algo, só idealiza dentro dela, e não pode idealizar fora dela. Então, você idealiza o fim da mente, na mente. Aí, você bota nos seus termos. Ai você diz: “mestre, eu vou perder isso? E isso, vai ficar comigo ainda? Mas eu gosto tanto disso.” Ou então: “e eu ganho o quê? eu vou ganhar o quê? Tudo bem, está bom, eu vou com você, mas, lá na frente, eu vou ganhar o quê?” Você não diz assim, com essas palavras, mas fica subentendida a ambição, a barganha, a troca.

Nesses dias, alguém escreveu assim, para mim: “porque eu me meti nessa busca de espiritualidade? Eu estava tão bem.” Vocês acham que têm saída, que têm escolha. Vocês acham que podem, simplesmente, virar as costas para Deus, para a Consciência, para a Verdade, e que vão ficar bem (risos). Você acha que pode virar as costas para a Verdade que você É e ainda estar em paz, levando a sua vida, essa vida da mente, pelos caminhos comuns, corriqueiros, da massa, de todos; o caminho dos seus pais, avós, bisavós? Não dá, não é?



*Trecho de um Satsang com Mestre Gualberto em São Paulo, no dia 08 de março de 2015.


2 comentários:

  1. Conflitamos com a experiência porque nela o experimentador está presente.Aquilo que se apresenta não surge em sua pureza. Sempre tem a presença do intrometido.Aquele que diz,não gostei,vou fazer de tudo para mudar isso.Ou, com isso vou ficar para sempre.
    Como pode querermos acabar com aquilo que surgiu dentro do tempo?
    Começou junto com o tempo, vai acabar na sua ausência.Quando? Agora.
    Na prática quem vai poder fazer isso?
    Só na graça e presença do Mestre.

    ResponderExcluir
  2. Se não pudermos ver Deus no homem, sem chance de sairmos dessa ilusão.
    Amor.....

    ResponderExcluir

Deixe aqui o seu comentário

Compartilhe com outros corações