sexta-feira, 27 de março de 2015

Despertar é uma ação da Graça - Satsang


Despertar é uma ação da Graça. Assim como a árvore nunca sabe quando suas folhas serão balançadas, nunca sabemos quando esse sopro da Graça irá nos fazer dançar, como folhas de árvores ao sabor do vento. Despertar é o reconhecimento do sopro da Graça, esse dançar de pura celebração, esse festejo dessa Presença Divina; isso é pura liberdade.

Aqui esse sopro sopra, os galhos balançam e as folhas dançam sem esforço. Tudo o que nós temos conhecido até agora é o movimento, o artificial movimento do pensamento. A árvore não se move, mas, mesmo assim, você não vai vê-la parada, porque o vento sopra o seu sopro, sempre. Ela nunca sabe de onde vem o vento e não se importa em que direção a dança vai acontecer... a dança de suas folhas, o movimento dos seus galhos.

Quero convidá-los, durante esses dias, neste encontro, a deixarem o artificial movimento do pensamento... A ficarem quietos ao sabor do sopro dessa Presença, que é a Graça, que com certeza já está fazendo essa dança acontecer... algo natural e sem esforço. Você não se envolve nisso, e não existe para se envolver nisso. Essa é toda a nossa ilusão: a ilusão do fazer, do realizar, do ser alguém; a ilusão de estar se movendo.

Nada se move e, no entanto, nada é estático. Tudo se move ao sopro desta Única Presença. Apenas a ilusão da mente, a ilusão do pensamento em um ilusório movimento, artificialmente, tem nos agitado. Nossa agitação não se parece uma dança, e sim uma convulsão, um ataque desordenado, proveniente da ilusão, criada pelo pensamento de sermos "alguém" em movimento fazendo algo; o sentido de um autor por trás das ações.

Só há ação, “as ações”, no plural, que é essa ação singular desta Presença. Somente Ela faz, e você não está nisso. Você é uma fraude. Você é uma ilusão. Você é esse pretenso movimento não natural do esforço, da tentativa de moldar, de mudar, de fazer algo. Olhem para a árvore, quieta e nunca quieta. Agora mesmo há uma dança no movimento dos seus galhos, a dança das folhas, das flores e dos frutos, na época dos frutos. O movimento não para. Entretanto, só há essa ação, que é a ação dessa Única Realidade, dessa Única Verdade presente que move tudo.




Trecho de um Satsang Presencial, transcrito e revisado, ocorrido em Novembro de 2013


Acesse a nossa agenda e venha participar de um dos nossos encontros.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui o seu comentário

Compartilhe com outros corações