domingo, 25 de janeiro de 2015

Paltalk Satsang: Ouvindo o meu cântico, o som da alegria que se espalha por todas as partes!



Mais uma vez, bem vindos a esse espaço desconhecido, esse espaço inédito!  A Consciência é esse espaço... Todos os dias, estamos compartilhando Isso, pela fala ou pelo silêncio; compartilhando esse encontro... um encontro neste lugar. Você pode sempre acolher aqueles que se aproximam de você neste lugar, que é um lugar novo, desconhecido, inédito, chamado Consciência.

Consciência é esse oceano sem praias; é essa indescritível quantidade de água por todos os lados. Essas águas representam, nesta metáfora, essa Luz... Aquilo que permeia, interpenetra... e está em toda parte. E mais do que isso, sendo todas as coisas. Nada está separado disso.

Estou todos os dias convidando você para ir além dessa limitação, que é ser um objeto, ser uma coisa ou ser algo, para ser aquilo que você É: esse oceano sem praias. Esse oceano sem praias é Deus; Aquilo ou Aquele que permanecerá sempre sem nome, sem localização, sem tempo e sem espaço. É essa coisa imensurável, que banha tudo em suas águas. Nada pode escapar d’Ele.

Você não sabe porque veio a esse espaço chamado Satsang, mas eu sei porque você veio. Você está ouvindo a minha canção, meu cântico. A dança que acontece, ao som dessa música, espalhou alegria por toda parte... Você ouviu isso... Você veio. Você é o meu convidado... minha convidada. Meu convite lhe permite banhar-se nessas águas, ao ouvir esse cântico, e dançar comigo.

Há tantas lágrimas em toda parte... Há a aparência da escuridão diante de toda essa luz da Consciência... Há a aparência da secura de todo esse deserto, diante dessa imensidão de águas, que umedece e molha tudo. Nada escapa.

Na Índia eles chamam de sat-chit-ananda: Ser, Consciência, Felicidade. Essa é a sua Natureza Real, natureza de Deus. Essa é a música dos seus lábios, os passos da sua dança e o brilho no seu olhar. Parece que você esqueceu... parece que você esqueceu.

Você não escolheu vir. Eu resolvi buscar você, apesar de você e de toda a sua briga comigo; apesar de você e de toda a sua resistência e aparente surdez, pois você se diz surdo e paralítico, sem poder ouvir e sem poder dançar, como esse deserto seco, sem vida. Mas, apesar de você, apesar de toda a sua persuasão, seu empenho e desejo de me convencer do contrário, você continua sendo para mim aquilo que você É: sat-chit-ananda. Eu não vou desistir de você, porque você É o que Eu Sou... Você É o que Eu Sou.

Satsang é isso: assumir essa imensidão de águas... de luz da Presença, que é Consciência. Satsang é não só ouvir o cântico, mas cantar também... Não só ver a dança, mas abandonar a ilusão da paralisia e da surdez... Ouvir e também dançar.

Eu Sou Aquele sem nome, que não pode ser localizado no tempo... não está no passado... não está no presente... não está no futuro. Não estive lá, não estou aqui e não estarei acolá.

Esse momento é o seu momento, que, embora haja muita Graça, está muito sem graça. Eu trago Graça, trazendo você para essa festa. Vai ficar bem melhor assim. Foi por isso que Eu entrei, cheguei e parei aqui, agora, na Sua Vida. Eu Sou Ela... Ela sou Eu... Ela é o Eu Sou... Eu Sou. Você não sabe disso? Não mesmo? Você sabe, mas esqueceu. Eu repito, você sabe, mas esqueceu. Você se confunde, se deixa perturbar, se deixa afligir pelo sonho de ser "alguém"... alguém que está só... alguém que tem medo. Você não percebe ou não quer perceber? Não é possível estar só, porque Eu estou com você... Não é possível estar só, porque Eu Sou Você. E onde estou há muita celebração, há muita alegria, há muita dança, há muita música. Apenas pare de mentir, confiando em historinhas mentais, em sonhos, em crenças, ou dando a si mesmo, a si mesma, esse sentido de ser alguém só, alguém em solidão. Eu Sou a sua alegria; você É a minha alegria.

Você está comigo em toda parte, espalhado, espalhada, por todos os lados, como essa luz presente, na qual o mundo inteiro aparece. Você é essa luz, a luz desse mundo. Um dia Cristo falou dessa Luz, referindo-se a você, quando Ele disse: “Vós sois a luz do mundo”; Ele falava dessa imensidão, dessa indescritível Presença em toda parte, tornando possíveis todas as aparições. Você esquece quem você É e para de dançar, vendo-se sem pernas, inútil, numa suposta paralisia; além de surda, sem ouvir. Por isso, Eu vim lembrá-lo, lembrá-la, de quem você É: Deus é o seu nome; Verdade é o seu nome; Paz é seu nome; Liberdade é seu nome; Felicidade é seu nome; Graça é seu nome; Santidade é seu nome; Presença é seu nome; Silêncio é seu nome. E assim é: Eu estou aqui por Você.

É isso... Alguma pergunta? Então, pessoal, vamos ficar por aqui!

Até o próximo encontro.


Fala transcrita e revisada a partir de um Satsang online via Paltalk Senses no dia 16/01/15
Encontros todas as segundas, quartas e sextas-feiras a partir das 22h - horário de Brasília

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui o seu comentário

Compartilhe com outros corações