terça-feira, 26 de agosto de 2014

Um Real Trabalho de Autorrealização





Um real trabalho de autorrealização só tem início, a partir do momento em que a busca termina. E a busca só pode terminar quando encontramos o nosso Guru.

Se ao encontrar o Guru a sua busca continua, é porque você, de fato, ainda não se permitiu ser encontrado por Ele.

Você apenas esbarrou no Mestre, mas a sua arrogância ainda faz você acreditar que sozinho, a partir desta falsa e ilusória entidade separada que você acredita ser, você possa chegar em algum lugar...

Como pode a Graça trabalhar sobre você, se você se mantém em movimento, se debatendo como um peixe fora d'água? Como poderia um cirurgião lhe retirar um tumor, sem primeiro lhe dar uma anestesia que possa te paralisar, para você ficar imóvel e, para que o corte seja preciso, cirurgico?

Você não pode ir até o Guru, para ter suas crenças confirmadas, para ter reconhecido os seus vãos e inúteis esforços, pois se não fossem inúteis, porque você precisaria ir até o Mestre? 

Você não vai até um Guru, para com sua tagarelice ficar reclamando da vida, dos seus problemas, das suas dificuldades, um Guru não é um terapeuta...

Você não deve ir até um Guru, achando que você alcançará a iluminação, porque isto seria muita pretensão, completa arrogância...

Você vai até o Guru para ficar quieto, para deixar de se debater como um peixe fora d'água. 

Para simplesmente parar. 

Para que a Graça possa trabalhar em você, harmonizar este corpo perturbado que você traz e que está o tempo todo oscilando, e como um cão faminto sempre desesperado por encontrar alguma forma de preenchimento externo, que está desesperado por encontrar migalhas de alegrias, oferecida por relações...

Tudo o que você anda fazendo é o que está lhe perturbando, você já é paz, mas não pode perceber a paz, vivendo como um cão faminto, com este corpo perturbado perambulando e revirando latas de lixo. 

Sim, seu desejo, é de encontrar alguma iguaria, algum divino manjar, dentro de latas de lixo. E por isso você está em busca, em movimento, é para isto que você levanta todos os dias da sua cama, para viver essa vida miserável, onde só dois movimentos são possíveis, dois medíocres movimentos, o de busca de prazer e o de fuga da dor.

Você vai até o Guru, para que a Sua Graça possa destruir toda essa mediocridade. Para que o Guru possa lhe ajudar a lembrar que você não é um mendigo, implorando por atenção e preenchimento, implorando por migalhas de prazeres e alegrias fugazes.

Sim, tudo o que você precisa é deste encontro. 

E a partir deste encontro, abandone toda busca, para de se debater, pare de mendigar, fique aí, na Graça da Presença do Guru. 

Deus não precisa que você faça mais nada, para que Ele possa fazer tudo o que é necessário, porque tudo já foi feito, tudo está em seu lugar. 

Apenas pare. Apenas fique na Graça da Presença Amorosa do Guru.




Jaya Guru Deva meu amado Baghavan Marcos Gualberto.

Tom de Aquino

 



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui o seu comentário

Compartilhe com outros corações