sexta-feira, 8 de agosto de 2014

Paltalk Satsang: O Coração Livre...



O fato é que Satsang aponta para a verdade. A verdade é aquilo que nós chamamos de nossa Verdadeira Natureza. Nossa procura durante toda a vida tem sido a procura pela verdade. No fundo, todos nós estamos em busca da verdade. Embora que no fundo seja assim, no início não é essa a nossa busca, esta busca dentro de nós mesmos, no âmago de nosso ser. Em nossos corações, estamos em busca daquilo que possa trazer a completude, o sentido de totalidade.

A mente tem dado um colorido a isso, e tem procurado dar um significado a essa procura. Este significado que ela dá a esta procura se mostra nesta presente situação, na qual nos encontramos. Uma vez que a mente tenha assumido o controle dessa busca, dessa procura, o resultado é esse que nós bem conhecemos. Não somos felizes, não estamos em paz, não há esta completude, não há esta serenidade. É assim que na, mente, nós estamos experimentando a vida. A mente nos desvia desse encontro, que no fundo todos nós almejamos. A mente nos coloca numa posição artificial, superficial, orientada, como ela é, para aquilo que está dentro de seus limites. E você, nesses encontros, está se deparando com esse desafio, de ir além da mente, dessa superficialidade e desses padrões, que você vê à sua volta e, também, dentro de você.

Uma coisa que eu acho importante dizer a você é que não importa a quantidade de conhecimento que, também, venha a adquirir acerca disso; não importa o quanto você escute falas como essas, leia livros, assista a vídeos. Isso não vai lhe atingir de uma forma significativa, a ponto de desconstruir tudo isso, a ponto de quebrar definitivamente esses padrões.

A Realização é nesse mecanismo corpo e mente, numa nova configuração. É preciso algo além das informações, dos conhecimentos e das experiências adquiridas por cada um de vocês. É necessário que este corpo/mente responda de uma forma diferente, livre destes padrões. Estamos diante de algo bastante simples, mas que vai permanecer sempre como um grande mistério: como este organismo, como este mecanismo, pode se livrar destes padrões. Aqui, os encontros, um trabalho direto, como acontece quando estamos em encontros presenciais, se mostram fundamentais.

A Graça é uma ação misteriosa, divina. Esta própria disposição de rendição, de não resistência, de não confrontar esta realidade da Presença, é algo que acontece de forma misteriosa e é isso que torna possível todo esse trabalho de Deus em cada um. É este mecanismo, este organismo, este corpo/mente passando por essa mudança, por essa transformação, tornando-se apto a trabalhar de uma forma completamente nova. É isso que podemos chamar de Realização: você em seu Estado Natural, com o corpo/mente livre da mente egóica, dos padrões dessa falsa identidade. Esse é um trabalho de toda uma vida; você está aqui só para este momento, apenas para realizar essa liberdade, que é ser aquilo que de fato você é.

Você é Deus. Você é silêncio, é liberdade, é paz... Você é felicidade, você é completude. Você é esta Presença onde não há medo, onde não há crença nem descrença, e agora esse mecanismo, este corpo/mente, manifesta isso em plena liberdade, porque ele está livre dos padrões do ego e do sentido de separatividade. 

Repare que não estamos falando de algo abstrato, estamos falando de algo bem presente nesta estrutura corpo/mente. Esse sentido de separação é uma contração aí, é uma resposta física e mental aí. Assim sendo, o trabalho é inteiramente aí, em cada um, que carrega seus próprios padrões, na verdade, padrões comuns a todos, mas que se apresentam de uma forma peculiar.

Quando esta Presença assume a naturalidade desse corpo/mente, o sofrimento termina, a ilusão termina. Mergulhe nesse silêncio, nessa Presença, nessa completa desidentificação do corpo e da mente. E agora o corpo e a mente seguem o curso natural, sem mais o sentido de alguém presente dentro dele. Esse "alguém" presente dentro dele é essa ilusão da interpretação de tudo aquilo que se apresenta, a partir de conceitos mentais. É o fim das opiniões, é o fim das conclusões, é o fim das certezas e incertezas... É o coração livre, é o corpo livre, é esse mecanismo corpo/mente livre. Essa é a realização de Deus, essa é a paz que ultrapassa toda compreensão humana, falada nas escrituras.


Ok, pessoal. Vamos ficar por aqui. Valeu pelo encontro... Namastê.


Fala transcrita, revisada e corrigida a partir de uma fala via Paltalk Senses no dia 01/08/2014
Encontros online todas as segundas, quartas e sextas às 22h

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui o seu comentário

Compartilhe com outros corações