quarta-feira, 18 de junho de 2014

Satsang: Livre da Ansiedade



Tudo que qualquer um tem, tudo que qualquer um tem, não é dele ou dela, é o que acontece nesse presente momento. Isso não tem nada a ver  com ele ou ela. Não há nada pessoal, individual e particular nesse presente momento acontecendo. Então não tem nada a ver com você. Você é uma fraude quando há uma identidade nesse presente momento!

O que é basicamente a ansiedade? A ilusão de que você é importante.

Você nesse instante é insuficiente, então algo precisa acontecer a você daqui a dois minutos ou cinco minutos. Ansiedade é a procura de algo no futuro. E você tem que...

PARTICIPANTE: Mas no meu caso não é ansiedade, é coisas que tem para fazer, coisas que eu deixei de fazer ...

M.G: Hum... Ótimo! Eu  quem deixou de fazer? Onde está esse eu agora aqui? Se não há nenhum pensamento agora aqui, aonde é que está esse eu? Repara que esse eu surge com o pensamento de algo que precisa ser feito. Aí surge um eu que faz, ou que pode fazer, ou que precisa fazer. Sem ele, aquilo não vai acontecer . E tudo isso  é  só  pensamentos acontecendo acontecendo aonde? Nesse mecanismo, nesse corpo-mente. Isso não tem nada a ver com o que você é. O corpo e a mente também está acontecendo agora como os pensamentos estão acontecendo agora, você em sua Real Natureza, que é isso, que é pura Consciência que presencia o corpo e a mente nesse instante, não se envolve com isso.

É sempre a mente dando uma identidade. Quando eu digo a mente eu digo esse conjunto de pensamentos dando uma identidade a um pressuposto eu que está aqui, agora, nesse instante. Não tem nenhum eu agora aqui nesse instante. Pensamentos estão acontecendo aí, testemunhe  esses pensamentos, seja uma testemunha deles, não energize eles, não dê uma identidade a eles e aí a ansiedade termina.

Na verdade toda energia dela, é a energia dessa mesma Presença que está agora aqui. A sua liberdade é só se desidentificar desses pensamentos. Acaba essa energização deles, o sentido do eu não está presente, isso fica claro. E aqui está você em seu Ser, em seu estado Real, em seu estado natural.

É que pra mente esse  momento presente é indigesto. Vocês percebem isso? Estão compreendendo isso? Esse momento presente, não há nada a se fazer aqui.

PARTICIPANTE: Não consigo me conectar...

M.G: Então, olhem pra essa não conexão, olhem para essa agitação. Isso está acontecendo agora aqui, nesse instante. Qualquer ação tomada a partir dessa agitação é uma ação agitada que vai gerar mais conflito, mais desordem, mais sofrimento. Porque é uma ação nascida dessa ansiedade. Então você aceite isso. Olhe pra isso agora, olhe pra essa não conexão. A mente diz: Você não está conectada, se conecte, você está agitada, fique calma. Ou a mente diz você vai resolver isso tudo, se for em direção aquela ação ou aquela outra. Então, isso se transforma em ansiedade.

Está claro isso? E no fundo tudo está acontecendo nesse  presente momento. Então tudo pode ser visto agora. Permita isso se desdobrar aí, essa  agitação, essa não conexão, olhe pra isso apenas, olhe pra isso. É assim que tem acontecido conosco, durante a vida inteira. Sempre há um momento melhor que esse e é um momento criado só por esse pensamento, ou por esse conjunto de pensamentos, o momento melhor que esse é o momento de realizar algo, e naquele dado instante um outro pensamento  surge e diz: Tem um outro momento melhor que esse, e tem algo melhor para ser feito. E assim a gente passa a vida inteira, sem nenhuma percepção de que esse momento presente é onde ele tudo acontece, é onde tudo acontece, é nele que tudo acontece e isso não tem nada a ver com você, é simplesmente um acontecimento da existência, não é você nisso, é a Vida acontecendo.

Isso é Paz, Isso é Silêncio. Isso é Liberdade, Isso é Completude, Isso é não ansiedade, Isso é não Medo, Isso é não Futuro, é não passado. Não basta a gente concordar com isso intelectualmente nós estamos juntos aqui nesse encontro, exatamente para ver isso, diretamente, aqui e agora.

 Gravado na cidade do Rio de Janeiro, no bairro de Laranjeiras.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui o seu comentário

Compartilhe com outros corações