quinta-feira, 19 de junho de 2014

Satsang - Libertação É o que É!



Isso jamais muda. Existe uma falsa identidade, ela não pode ouvir esse som, ela está  ocupada com outra coisa, com o escritório, com família, contas para pagar, com assuntos de cunho pessoal, essa é a pessoa.

Essa pseudo-identidade, para ela nenhum instante é importante. A ideia do instante que ela cria, isso é importante, é importante porque ela sobrevive disso, ela sobrevive nisso. "A verdade" da sua existência está nisso, mas é uma ilusão.

Talvez você pergunte: "Mas e os assuntos que eu tenho para resolver?" É exatamente em cima disso, que essa falsa identidade tem a sua vida, na ideia de que tem assuntos para resolver. Os assuntos se resolvem ou não se resolvem, mas essa pseudo-identidade não tem nada a ver com isso, com solução ou não solução de assuntos tudo simplesmente acontece como tem de acontecer, como tem que acontecer, acontece, nem mais nem menos. Você deixa cada coisa tomar o seu lugar e tudo acontece, como tem de acontecer. Agora foi o momento do avião. Assim também tem o momento da conta para ser paga ou não. Há o momento de uma solicitação, para ser atendida ou não. Você não tem culpa, como você não tem glória, nem punição, nem recompensa. Porque tudo acontece como tem de acontecer no seu devido momento.

Todo seu desespero, toda sua ansiedade, toda sua preocupação, todo seu stress, tudo isso que você chama de “seu” se apresenta quando a ideia de alguém envolvido aparece, é uma ilusão. Você não é importante e nem necessário! Você é essa contração, esse sentido de ser alguém é tensão, é bloqueio, é receio, é medo, é antecipação,  é tudo que representa sofrimento.

Não há alguém aí, a história ligada a esse corpo não é a história de alguém, é a história de um mecanismo, de um organismo. Uma árvore como essa aqui, ela não conta a história para você, e ela  tem uma história como a sua, mas ela não diz que é dela. Isso é Liberdade, porque não é uma história dela, é uma história da existência.

A existência se manifesta como árvore, se manifesta como criatura humana, é pura presunção nossa, a ideia de que somos mais importantes  que uma árvore dessa, e é isso que tem criado essa pseudo-identidade, que acredita estar no controle, e que na verdade não está no controle de nada, apenas sofre por manter essa crença, vive nessa contração, nesse bloqueio, nessa tensão, nesse stress, nesse nervosismo, nessa tentativa de resolver, solucionar, controlar, ajustar, manipular.

Ser é simplesmente existir como as árvores. A história está aí, mas não é sua. Ela só está acontecendo, essencialmente você é essa Presença Impessoal, o que tem início,  tem fim, o que começa, termina. Assim é a história, assim como essa árvore não é você, esse  corpo também não é você.

Você é essa Presença que presencia a árvore e o corpo. É a mesma Presença em tudo que aparece e desaparece, não  há nenhuma separação, não há nenhuma distinção, nem maior, nem menor. Tudo isso aparece a você agora, como uma manifestação, como uma aparição, como um sonho. Apenas um sonho, mas você é o sonhador, não importa  o que aconteça no sonho, tudo está dentro de você.

Acordar não é sair do sonho, é simplesmente saber que isso tudo é um sonho, não  há nenhum problema no sonho, é apenas um sonho. A ideia de se livrar do sonho ainda faz parte do sonho. Então, divirta-se, tudo é uma grande brincadeira. Não tem ninguém culpado disso, não  tem ninguém merecedor disso, tudo é o que é, é assim e sejam gratos.

Todos vocês já tem tudo que precisam, está  tudo no seu lugar. Aqui não é se livrar do sonho, é não se confundir com o sonho, é simples assim. A libertação não é sua, por isso,  a ideia de sair do sonho é uma ilusão. A libertação é a constatação daquilo que você é em sua real natureza, e isso é Presença e o sonho continua, mas é só um sonho.

Não sei se vocês percebem a diferença, não  há nenhuma libertação para ser alcançada por alguém. Libertação é o que é agora e sempre, isso não muda. Não há nenhuma Verdade a ser revelada. Ela é o que é, agora, sempre, e não muda. Nenhum Deus a ser encontrado, nenhum Amor a ser encontrado, nenhuma Paz a ser encontrada. TUDO é agora nesse instante. E nenhuma qualidade de sonho muda isso, porque é só um sonho.

Ninguém acorda, ninguém desperta, ninguém se ilumina. Não há nenhum ensino, nenhum aluno, nenhum professor, não há nada disso. Tudo isso ainda é parte do sonho. Se você continua acreditando no sonho você continua alimentando essas ideias, e aí está a ilusão! A ilusão do sentido de separatividade, de separação.  



Gravado no Parque Guinle - Zona Sul da Cidade do Rio de Janeiro

Um comentário:

  1. A crença em alguém sonhando é a causa do conflito. Uma hora o sonho é bom, noutra ruim.Isso é desesperador.Estamos sonhando o sonho bom,mas o sonho ruim está sempre à espreita e ele aparece e muda todo nosso humor.Lutamos à favor de alguns e contra outros.Não permitimos que eles sejam aquilo que são.Nossa felicidade depende da escolha,mas o controle não existe,já que o controlador é uma farsa.
    Ele existe na tentativa, mas falha sempre,porque é assim que é.
    Mas ele continua,porque é o que lhe mantém.
    Em satsang quando o sentido de alguém em conflito,desgostoso,insatisfeito perde
    importância,Satsang passa ser 100% prioridade.
    O que é uma pessoa infeliz senão o sentido de alguém se passando pelo sonhador?
    Procuremos pelo sonhador.Onde ele está?
    Não o encontro,mas isso não me livra do sofrimento.
    Procuremos por esse que está sofrendo.Sem essa procura nunca saberemos que não existe realidade fora daquilo que é.
    Um dia ainda saberemos a importância que é estar diante daquele que pode lhe ajudar à olhar para tudo isso.Bem aventurados é isso que somos.

    ResponderExcluir

Deixe aqui o seu comentário

Compartilhe com outros corações