terça-feira, 10 de junho de 2014

Paltalk Satsang - Uma Apreciação Real sobre este Trabalho





 Todo mundo com áudio?

Sejam vem vindos! Vamos lá!

É importante todos vocês, todos aqueles que se aproximam desses encontros, perceberem o quanto é importante nós termos uma apreciação real sobre este trabalho, é muito fácil nós nos perdermos nessa sedução da mente, a mente tem uma grande habilidade, a habilidade de se manter, sem ser tocada, sem questionar ela mesma, nós vivemos dentro de um padrão de conformação, nós estamos muito conformados, muito habituados a viver dentro dos limites, dos limites dessa entidade dessa suposta pessoa, assim nós temos que nos aproximar disso com muita verdade, temos que ser honestos quanto a isto, ter aquela sinceridade além da mente, ter aquela honestidade além da vaidade, do capricho, da presunção que é a mente, da arrogância que é a mente.

Eu tenho encontrado muitos que falam com muita liberdade, acerca daquilo, que eles acreditam piamente ser isso, ainda confiando numa suposta pessoa presente, sabem falar dessa "verdade" da não pessoa, sabem tratar do estado natural, porque leram bastante, estudaram bastante e ouviram bastante, a condição desses que sabem, que conhecem, que entendem isso, que entendem disso, a real condições deles é pior do que aqueles que nunca ouviram sobre isso, nunca leram nada sobre isso, falar da não necessidade de um trabalho real de despertar, porque não há alguém capaz de fazer este trabalho, isto é algo teórico, é só mais uma crença. Mais uma vez o impostor, a ilusão falando sobre a realidade.

Mais cedo ou mais tarde o sofrimento vai bater, vai bater a porta, vai chegar do outro lado, vai bater nessa porta para poder entrar, suas crenças, minhas crenças, as crenças daquele que "sabe", "conhece", não servem para nada, não há nada mais perigoso que o intelecto tratando desses assuntos, a maior de todas as armadilhas é o conhecimento.

A verdade não é uma experiência, a verdade não é um conhecimento, não é um saber, a verdade é o estado natural, a verdade é a liberdade de uma resposta não-reativa, a este movimento inescapável que é a vida, a esse movimento inédito, imprevisível que é a vida, a liberação é a ausência da ilusão, não é a presença do conhecimento, o conhecimento intelectual, a experiência vivencial, não entra nessa coisa, a verdade está além do conhecido, está além do experimental, o experimental e o conhecido é algo possível apenas para alguém, e a verdade é a liberdade do alguém, do mim, do eu, você é a verdade além do conhecimento e além da experiência, além do conhecedor e além do experimentador, o estado natural não é o estado da pessoa, a pessoa jamais conhecerá o estado natural, jamais experimentará o estado natural, não há pessoa no estado natural, não é algo que possa ser conhecido ou experimentado, é aquilo que conhece mas não é o conhecedor e nem o conhecimento, é aquilo que experimenta mas não é nem o experimentador e nem a experiência, toda experiência, como todo conhecimento, está a serviço do conhecedor, ou do experimentador, a verdade do estado natural é a verdade da não-mente, da não-entidade, da não-identidade, agora falar sobre isso, por falar sobre isso, por conhecer algo sobre isso, por ter experimentado algo sobre isso, é viver na ilusão.

A verdade está presente quando o experimentador não está, quando o conhecedor não está, a natureza da mente é se autoafirmar momento a momento, o que quer que ela toque ela transforma em algo dela, você não pode ser intelectual quanto a isto, Deus não pode ser aprendido no campo do intelecto, no campo da experiência, o sábio não é uma pessoa, é a natural constatação de que não há nenhuma pessoa, de que não há qualquer conhecimento, ou qualquer experiência, nem o conhecedor, nem o experimentador, nem aquele que sabe e nem aquele que não sabe, a ausência do sentido de autoria, a ausência do sentido de separação, a ausência do conhecedor e do desejo de conhecer, que dá no mesmo, da ausência do experimentador e do desejo de experimentar, dá no mesmo, é o estado natural, que é essa presença, naquele que chamamos de sábio, acordado, realizado. Mas isso não é uma crença, uma crença que nos faz na mente afirmarmos coisas como; a não necessidade de um trabalho, ou afirmarmos qualquer coisa, que na mente aprendemos sobre isso, conhecemos sobre isso, soltem todo conhecimento, assim como toda experiência, todas as crenças, todas as conclusões, todas as ideias, inclusive e principalmente essas ideias perigosas, mergulhem nesse não-saber, nesse não experimentar...

Cristo como muitos outros nos falaram a respeito da necessidade da morte, todos aqueles nos quais esse estado natural assentou, nos falaram sobre essa importância da morte, do fim do conhecedor, do fim do experimentador, do fim do desejo, do fim da busca, todos nos falaram de um novo nascimento, não é o antigo que renasce, é sempre o novo que nasce, não é o conhecido que se mantém, ou que depois de morte renasce novamente, aqui é a presença do novo, do inédito, do desconhecido, daquilo que é indescritível, daquilo que é sem nome, daquilo que é sem forma, daquilo que é imutável, inominável e indescritível, como o próprio silêncio, isso significa um mergulho no rio da Graça, um mergulho na bem-aventurança, na paz, na liberdade, na felicidade, do silêncio, da verdade.

A pessoa jamais viverá isso, isso está presente quando a pessoa não está presente, quando a ilusão que é a pessoa não está presente, desistam de entender isso, de capturar isso, de aprender isso no intelecto, podem desaparecer nisso, mas não descrever isso, você podem se permitir isso, mas não progredir em direção a isso, este progredir aqui, se nós entendemos por progredir crescer, crescer como uma entidade, como alguém, até chegar lá, estamos juntos?

Assim eu vou repetir algo para você, não ocupe a sua cabeça com isso, se mantenha sintonizado no coração com este Silêncio, com esta Presença, com esse desistir, com esse "desapegar", soltar, isso é uma ação da Graça, é uma ação dessa Presença, mas afirmar isso intelectualmente, dizer que nada precisa ser feito, é não ter entendido a única coisa que precisa ser entendida aqui, essa coisa significa; você não pode entender isso, mas pode ficar quieto, e isso pode atropelar você, passar como um trator em cima desse você, essa é a ação da Graça, essa é a ação da Presença, essa é a ação de Deus.

Vamos ficar por aqui?

Valeu pela presença de todos. Namastê!


Transcrição de uma fala transmitida via Paltalk Senses na noite do dia 06 de Junho de 2014
Encontro todas as segundas, quartas e sextas às 22hs - Participem!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui o seu comentário

Compartilhe com outros corações