quinta-feira, 24 de abril de 2014

Paltalk Satsang - Ser Deus é algo muito natural



Sejam todos bem-vindos a mais um satsang online, a mais um momento de Satsang, que bom estarmos juntos mais uma vez, como temos feito todas segundas, quartas e sextas, com algumas raras exceções, semanalmente temos nos encontrado por aqui, para olharmos para isto juntos. 

Esses contatos que nós temos são fundamentais. Estarmos juntos é algo fundamental, estarmos presentes olhando para isto, investigando isto, então temos a oportunidade de estarmos juntos nesses encontros, e é algo maravilhoso isso, alguns nos fazem perguntas pelo Facebook, mas a dificuldade é que as resposta não são respostas, elas não vão de fato funcionar, nós podemos continuar brincando de espiritualidade, e vocês podem continuar se espiritualizando dia após dia, após dia... Vocês podem continuar brincando de se espiritualizar, vocês podem continuar se espiritualizando, quando estiverem com 99 anos vão descobrir que andaram em círculos durante todo esse tempo, aqui não se trata de construirmos alguma coisa, não se trata de sob esta estrutura antiga construirmos um edifício, é preciso que esta estrutura que está aí desabe, caia! 

Essa brincadeirinha de espiritualidade, isso não vai funcionar, então muitos se aproximam fazendo perguntas, e essas perguntas é um andar em círculos, ser é algo muito natural, é simplesmente estar despido do sentido de separação, do sentido de separatividade, isso não tem nada de espiritual, não tem nada de místico, nada de esotérico, nada de especial, ser Deus é algo muito natural, Deus não é espiritual, Deus não conhece espiritualidade, o Ser não conhece espiritualidade, a vida não conhece espiritualidade, vocês estão cheios disso, agarrado à práticas, rituais, cerimônias, à leituras de livros sagrados, à recitação de palavras sagradas, às escrituras, à bíblia ou qualquer outra escritura, os mantras, nada disso é real, ou tudo isso ainda é parte daquilo com que a mente pode se distrair.  

Nós precisamos cansar dessa coisa e abandonar tudo isso, eu chamo de estado natural, porque não há nada espiritual nisso, em Ser Deus, em viver em seu estado verdadeiro, em seu estado sagrado, em seu estado divino, sem medo, sem sofrimento, sem crenças, sem ilusões, eu sempre lhe convido a este olhar, o olhar para "fora" do eu, o olhar para "fora" da separação, "fora" da mente, o olhar para "fora" das crenças, para "fora" das práticas, para "fora" dos rituais, o convite para este silêncio, para esta liberdade de ser, a esta beleza de ser nada, nada de ser construído, de ser reformado, nada de evoluir, nada de conquistar, conquistar uma elevação, conquistar um degrau, um patamar diferente, nada disso, apenas simplesmente ser, não ser alguma coisa, mas simplesmente ser, aqui se trata em Ser no não-ser, eu disse exatamente isso, aqui se trata em ser no não-ser, ser no vazio, ser no nada, no nada ser, no vazio ser, no natural ser, Ser o natural, não importa o que alguns acordados disseram ou estão dizendo, nada disso pode ser suficiente, nenhuma palavra pode, nenhum conhecimento pode, nenhuma expressão verbal, a cerca disso pode ser suficiente, leitura de livros, palestras, assistir vídeos, práticas, aquilo que pode ajudar até certo ponto, se torna um grande e extraordinário obstáculo, um grande e forte e poderoso impedimento, ouviram isso? 

Uma muleta pode ser um belo auxilio para aquele que está se recuperando de um acidente, mas ele terá que se livrar dessas muletas, ou jamais poderá caminhar em liberdade com as próprias pernas, nós estamos lhe convidando a Ser, a se abismar nesse silêncio, a se soltar nesse vazio da totalidade, nessa totalidade de ser, nesse ser nada, naquilo que é essa Ilimitada Presença, Ilimitada Consciência, naquilo que é você agora aqui, sem qualquer muleta, sem qualquer apoio externo, sem qualquer ajuda, te convido a mergulhar nesse instante, nesse silêncio, nessa quietude, nessa Graça e beleza, nessa verdade divina, nesse silêncio, nada, vazio, consciência, Presença, Ser, Deus, você, é tudo a mesma coisa, você não precisa de nada, você já é o que precisa ser. 

Aqui eu posso lhe dizer algumas palavras, qualquer acordado pode lhe dizer algumas palavras, Jiddu Krishnamurti, Ramana, Buda, Jesus, ou qualquer um outro, mas a coisa não está aqui na palavra, o trabalho está em você, a realização está em você, você é a verdade, nenhum apontar para isso pode ser suficiente, realização significa o fim da ilusão da separação, isso é o resultado de um trabalho da Graça, dessa Presença, que está presente naquilo que é você, agora, aqui já, nesse instante, verbalizações, palavras, nada disso é a coisa, esse silêncio presente nesse instante, nesse silêncio no qual essa fala acontece, essa palavra acontece, essas verbalizações estão aparecendo, esse silêncio presente nesse instante, revelam e expressam, essa única verdade, essa indescritível e inaudita verdade. 

Eu lhe convido a esse mergulho, a essa imersão, nessa Presença, esse auto-abandono, ao abandono de absolutamente tudo, aqui o intelecto não entra, aqui nenhuma experiência entra, nenhum conhecimento entra, esse é o despertar da sabedoria, essa sabedoria só é possível quando não há aquele que sabe... 

É bem engraçado tudo isso, nada razoável, muito paradoxal, indizível, indescritível, não conceitual... vamos ficar por aqui!



Fala transcrita de um encontro via Paltalk Senses no dia 23 de Abril de 2014
Encontros todas as segundas, quartas e sextas às 22h - Participem!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui o seu comentário

Compartilhe com outros corações