quarta-feira, 26 de março de 2014

Você não tem história e nunca viveu uma experiência se quer!




Aquele que acredita viver experiências, está de fato acumulando impressões, registros, memórias, histórias, que tem por objetivo, reforçar uma identidade, provar a existência de um "eu", de uma entidade separada.

Mas tudo aquilo que pode ser acumulado nesse sentido, se torna lixo, entulho, a visão do ser fica tolhida por uma espessa camada de impressões de experiências. 

Você se tornar pesado, muito pesado, rígido, com muitas certezas, você agora sabe muitas coisas, porque caiu muitas vezes, sofreu muito as consequências de escolhas erradas, que acredita ter feito, mas agora, agora você sabe. Sabe, e no entanto, se encontra infeliz com toda essa sua sabedoria, com toda esta experiência de vida acumulada.

Tudo isto é uma grande farsa muito bem disfarçada, a visão do sábio como sendo ele um homem muito experiente é uma fraude criada pela mente, para valorizar aquilo que a reforça, aquilo que afirma a sua soberania sobre o ser, e por essa razão, tuas experiências são tão importantes, viver e aprender é um lema inquestionável na mente e para a mente.

É raro quando ocorre o despertar, o despertar que revela a estupidez do que é acumular experiências, a ilusão do saber, a mentira que é o pensar sobre a vida, a crença numa evolução existencial, psicológica ou espiritual, a esquizofrenia própria de se considerar alguém importante e necessário para a existência...

Quem acumula experiências está morto, engessado, age com base em impressões do passado, está cheio de medo de se machucar, de sofrer, e precisa caminhar sobre ovos, para evitar a dor. Aquele que busca evitar a dor, está evitando a vida, aquele que persegue o prazer, está deixando para trás a vida.

Você nunca viveu uma experiência se quer, tudo apenas aconteceu e aconteceu sem você, você nunca estava lá, apenas a mente ao registrar fenômenos momentâneos, registrou também as reações e impressões do corpo diante de tais fenômenos, e disse que isto estava acontecendo para você, que isto te pertencia, e este você, crendo nessa mentira, criou uma história pessoal a partir disso.

É pura pretensão acreditar que a vida acontece para você, assim ou assado, que tudo está dando certo ou errado, a vida não acontece, a vida está além do acontecer, tudo que acontece, apenas parece acontecer, e mesmo este parecer, é um acontecimento da vida para a vida, não para você, a vida não tem conhecimento da existência de um você.

Deixe de valorizar suas histórias, suas experiências, sua vivências, suas crenças, suas conclusões, suas certezas, enquanto houver algo seu, a mentira estará aí, você não possui nada, continua completamente vazio, tal como chegou, mas está disfarçando isto, está tentando se enganar quanto a isto, está vestindo papéis para tentar se preencher, de pai, mãe, marido, esposa, namorado, filho, aluno, professor, profissional, especialista, etc... Na verdade você não existe nem para se auto-enganar, é a mente que está criando esta mentira toda na qual você passa a acreditar existir, como um entidade separada do todo, e a acreditar em todas essas histórias que parece contar para si mesmo.

É neste vazio que está a paz, a paz que não pode ser abalada por nada; o amor, que não depende de ninguém, porque no vazio não há ninguém; a alegria sem motivos, o vazio não lhe dá motivos; a verdade que não pode ser descrita, porque o vazio não pode ser descrito, mesmo a palavra vazio é vazia de significado, poderíamos chamá-la de plenitude, de Deus, de qualquer outro nome, porque estamos apontado para aquilo que não tem nome, não tem forma, não tem explicação. Este vazio não pode ser uma experiência, ele é a ausência de todas experiência, não pode ser alcançado por alguém, ele é ausência de alguém, e você não precisa chegar até a ele, por duas razões, primeiro porque não há alguém para chegar até ele, e segundo porque você nunca deixou de ser/estar nele.

O fato é que se você não for esvaziado deste entulho todo no qual você se situou e construiu sua história, sua personalidade, sua individualidade, você irá dentro de um padrão, continuar a acumular mais entulhos, e jamais poderá perceber que o vazio é plenitude, e que a plenitude já está aqui e agora, como a única realidade imutável, alguns chamaram isto de sagrado, por isso insistimos, venha ao Satsang, o Satsang não pode lhe dar nada, qualquer coisa que possa lhe ser dado, se transformará em mais um lixo para o seu entulho, Satsang pode lhe ajudar a jogar fora todo o seu lixo acumulado por anos, indo até a raiz da questão, que é levá-lo a perceber que este "eu" que acreditou acumular qualquer coisa, é uma farsa que existe para "você" mas que não é real.

Seja bem-vindo ao deserto da realidade! Como diria o Morpheus ao Neo no filme Matrix 

"Gratidão eterna ao meu Mestre Marcos Gualberto que me tirou do sono, no qual eu nunca existi".
Tom de Aquino

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui o seu comentário

Compartilhe com outros corações