quinta-feira, 28 de novembro de 2013

SATSANG – VOCÊ É A CONSCIÊNCIA... ISSO NÃO DORME.



Só você é o atalaia, é o guardião do seu mosteiro.

Sabe o que faz um atalaia? Ele não pode dormir. Nos antigos mosteiros zen, o Mestre elegia alguém para ser o atalaia, o guardião do mosteiro.

Eu tenho para mim que você acabou de ser eleito, elegido. Parece que foi agora, mas sempre foi assim. Mas agora você está a par disso, sabendo que é assim. Portanto, não durma, deixe o corpo dormir, mas não durma.

A natureza da mente é sono, deixe a mente dormir, mas você não durma. Você não é a mente, você não é o corpo. Você se confunde com a mente, se confunde com o corpo e dorme. E esquece que é um atalaia, que é um guardião.

Consciência é a Presença que não dorme, nunca dorme. Mente é inconsciência que nunca está desperta, nunca acorda.

Em seu estado verdadeiro, em seu estado natural de atalaia, de guardião desse mosteiro, estou dizendo “desse mosteiro”, tudo está completo, por isso eles chamam de acordado, de desperto, aquele que não dorme.  Não há alguém aí para dormir, você não é alguém. A ilusão de ser alguém é estar em sonho, é estar aqui com sono, é estar equivocado. Não se equivoque, não adormeça, não se confunda. Você é aquele na torre, a torre de vigia, esse nunca dorme.

A mente está dormindo há milênios, não você. Você se confunde com a mente, ela se passa por você, e ela vem fazendo isso com muita maestria, há um bom tempo, há um bom tempo...

Eu sei que não é nada confortável sair desse sono, no qual você nunca entrou, só parece que é assim. Mas esse parecer é muito verdadeiro, embora não seja real. Por isso na Índia, eles chamam de “ilusão da ignorância”, não há nenhuma ignorância, como não há nenhum sono, só parece ser assim. É que isso é muito convincente, muito persuasivo, tamanha é a habilidade e o poder da ilusão. Na Índia, eles chamam de “Maya”, essa brincadeira da ilusão, do equívoco.

Assim, fique aí, no seu lugar, deixando tudo no seu lugar. Isso é estar acordado, desperto, consciente, é ser Presença, é o despertar, ou qualquer nome que você tenha para isso. Esqueça os nomes, todos eles, apenas brinque com os nomes, assim como divirta-se com as formas. Nada é oneroso, nada é pesado, tudo está no seu lugar.

O atalaia não interfere, ele é só uma testemunha que observa, com bastante acuidade, atenção e paciência, sem dormir. Não vale dormir!


É isso aí!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui o seu comentário

Compartilhe com outros corações