terça-feira, 3 de setembro de 2013

Satsang - Você é o que acontece


A depreciação já é uma valorização, é o esforço para ser miseravelmente feliz ou miseravelmente infeliz. Só a mente tem qualquer escolha, ela pode tudo. Imaginar a escolha é algo que ela faz muito bem. Assim sendo, ela pode ter essa escolha da autoestima ou da baixa-estima. É a ilusão desse falso "eu"! Uma hora feliz, entusiasmado, excitado, pra cima. Outra hora infeliz, pra baixo, melancólico triste, em baixa estima. Mas é sempre o falso “eu”, é só um filme.

É só o conteúdo de uma história, que é memoria, que é passado, que é pensamento. É o pensamento acontecendo sem você, são as sensações acontecendo sem você. É um hábito, é um vício, é só um costume, é só uma prática. Isso é pura inconsciência, uma identidade por traz daquilo que acontece. Eu não quero te convidar a ficar um dia inteiro, 24 horas, sem uma identidade por trás do que acontece. Eu quero te convidar a ficar 5 segundos sem uma identidade por trás do que acontece. Então, você percebe que não tem você. Você percebe que você não existe. Olha que coisa, paradoxal? A não percepção Sua de “sua” não existência.

Estamos falando da existência dessa ilusão, a ilusão de uma entidade por trás do que acontece. É quando, na realidade, Você é o que acontece, sem a separação. O sentido do “eu” na ação não está. O sentido do “eu” no evento das lágrimas, ou do pensamento acontecendo, ou da tristeza ou da alegria ou da dor ou do prazer. Então, a experiência é só a experiência sem a alguém nisso. Não tem experimentador nisso. Então, não fica resíduo, não fica memória, não fica peso, não fica a possibilidade da continuidade dessa ilusão, a ilusão de uma identidade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui o seu comentário

Compartilhe com outros corações