quinta-feira, 19 de setembro de 2013

Satsang - Sem essa ideia de alguém no fazer, aquietamos o coração


Todo seu conflito, miséria e sofrimento, não é seu conflito, miséria e sofrimento. Isso não tem nada a ver com você. Isso é algo que aparece na ilusão desse movimento do pensamento não visto, que nós chamamos de mente, "mim", "eu", "pessoa", "ego". Isso não existe. Essa é toda a ilusão. A ilusão desse movimento não natural, algo que aprendemos. Tudo o que fazemos aqui é deixar a ideia do fazer para simplesmente ser o que somos. Aquietamos o coração e a Presença se assenta nesse lugar. Somente quando o nosso coração está quieto essa Presença pode se assentar. E o coração é o lugar, é o espaço, é a medida certa aonde a Presença se assenta.

Assim o meu convite nesses dois dias é para juntos aquietarmos o coração, deixarmos esse não natural, esse artificial movimento ilusório desse que acreditamos ser, para esse "permitir", para esse "se abrir", para esse "descansar" nessa confiança, nessa entrega, nessa quietude. E assim como a árvore presencia o mover dos seus galhos, o dançar de suas folhas ao sabor do vento, quietos, nesse festejar, celebrar essa dança divina. Somos nós, o que somos nós? Tudo que é requerido de você aqui é isso: fique quieto. Nem tente ficar quieto, não procure ficar quieto, e você já está quieto, essa é a sua natureza. E tudo o mais acontece por si mesmo, pura ação da Graça, pura ação Divina, pura ação dessa Única ação. É isso. Namastê.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui o seu comentário

Compartilhe com outros corações