quinta-feira, 26 de setembro de 2013

Satsang - O desembolar-se da mente


P – Desembolar da mente é gradual?

M – Não. Esse Despertar é instantâneo. Estar fora dessa identificação é algo neste instante, neste momento, agora. O trabalho não é despertar para essa desidentificação, para esse desembolar da mente. O trabalho é não se identificar mais, não se confundir mais, não se embolar mais com a mente. Esse é o trabalho. Todos vocês já experimentaram momentos em que a mente não estava presente – de pura beleza, silêncio...

Vocês perceberam que isso veio e foi embora. Foi essa a sensação. E novamente esse embolar com a mente voltou. Então, essa desidentificação é imediata, uma vez que você possa apenas estar ciente deste instante sem qualquer resistência, sem qualquer luta, sem qualquer justificação, rejeição, apreciação, escolha daquilo que vem. Se apenas você se permite ficar inteiramente ciente neste instante desse movimento, essa identificação é quebrada imediatamente.

Isso não é gradual, é algo imediato. É algo que acontece de imediato, agora. Só pode acontecer neste instante. Mas é evidente: por falta de um trabalho consistente, persistente, dedicado, aplicado, a maior parte do tempo você está de fato embolado. Então, é necessário um trabalho. Esse trabalho é gradual. Esse trabalho requer tempo, requer aprofundamento, requer dedicação.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui o seu comentário

Compartilhe com outros corações