quarta-feira, 4 de setembro de 2013

Satsang - A natureza do jardim


Como Consciência, você é essa Presença impessoal, além do tempo e do espaço. Como expressão dessa Consciência, a brincadeira de um corpo particular e uma mente particular. Um corpo-mente particular, um mecanismo, um organismo. Assim como uma flor aparece em um jardim como única, como singular, você, nesse corpo-mente, aparece como único, singular. A flor no jardim é a mesma Vida de todas as outras flores. Aquela forma desfruta da mesma Vida, da única Vida de todas as flores no jardim, e de todas as plantas naquele jardim. Uma única Presença, uma única Consciência, uma única Vida. Você, em seu Ser, é a mesma Realidade de todos.

Na Índia, eles chamam de Sat-Chit-Ananda, Ser-Consciência-Beatitude. Essa é a natureza do jardim. Não importa se nesse jardim na forma ali temos rosas, margaridas, orquídeas. Não importa a variedade de flores, são formas aparentes para Aquilo que se mantém presente sem qualquer aparência. Assim, esse florescer é a Consciência na Consciência, é essa Consciência da própria Consciência de que, apesar da multiplicidade de formas, uma só e única Vida, uma só e única Presença, uma só e única Consciência.

Aqui, a mente está embolada com o pensamento, com o conhecido, com a memória, com a lembrança. E isso está acontecendo a serviço de uma ilusão, a ilusão de uma identidade separada, desse falso “mim”, esse falso “eu”, essa falsa e irreal pessoa. Essa aproximação que você tem aqui, se ela é meramente verbal, ela não tem qualquer valor para você. Você precisa aprender a olhar para isso no seu viver.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui o seu comentário

Compartilhe com outros corações