quinta-feira, 22 de agosto de 2013

Satsang - O que você vê (1)


P – Quando você olha pra nós você vê o quê? Ou você só olha e não enxerga?

M – Eu vejo uma só coisa, há sempre uma única coisa aparecendo. Todas essas percepções sensoriais que nós temos são quadros breves aparecendo, o pensamento nesse formato de memória cria uma continuidade para essas percepções e isso é sentido em nós como se fosse real isso, como se a continuidade dessa percepção fosse algo real. Na verdade, são só quadros, imagens, percepções. Essa linha de continuidade é imaginária na memória, na lembrança. Por detrás dessa linha imaginária, o sentido de alguém vendo alguma coisa, ouvindo alguma coisa, sentindo alguma coisa. Todo o sentido aí é falso quando por detrás desse sentir existe a crença de alguém dentro disso. Nós temos dado muita importância ao experimentador.

2 comentários:

  1. Quando o corpo e a mente morrer, a consciência não vai ter o que observar ? com o que a consciência vai interagir ? pode comentar ? grato !

    ResponderExcluir
  2. Quando está em sono profundo do que você sente falta? Sente falta de observar qualquer coisa? De experimentar alguma coisa? De viver alguma experiência? Seu Ser é pura Consciência tanto em sono profundo como agora nesse estado de vigília, tanto na “vida” como na “morte”, apenas o sentido de separatividade vê ou sente algo separado dele mesmo, assim o desaparecimento do corpo e das memorias gravadas nesse cérebro nessa coisa da morte, isso é completamente irrelevante, para sua verdadeira Natureza, e se algum tipo de vida pode permanecer para a “mente” ou não. Descubra se há alguém aí, algum “eu” para “interagir” ou para “observar”, para experimentar a experiência sensorial dessa vida do mundo, Ou a experiência sensorial do sonho após a morte em outro “mundo”. obrigado Wilian Silva...

    ResponderExcluir

Deixe aqui o seu comentário

Compartilhe com outros corações